Poucas vezes a final da Liga dos Campeões da África contou com um confronto tão pesado. Dois clubes tradicionais, de torcidas enormes e sedentos por reconquistarem o continente. Que, ainda mais, pegam embalo pelo momento vivido por suas seleções, que reacendem o ardor pelo futebol no norte africano. Al Ahly e Wydad Casablanca medirão forças em uma decisão para ficar marcada por muito tempo, ao menos por aquilo que pode acontecer nas arquibancadas. Neste final de semana, os ultras de ambos os clubes já deram uma belíssima mostra de suas paixões nas semifinais.

O Wydad Casablanca foi o primeiro a confirmar a classificação, no sábado. Os marroquinos encararam o USM Argel, depois do empate por 0 a 0 na visita à Argélia. E o Estádio Mohammed V, com 60 mil presentes, viu suas arquibancadas vibrarem no ritmo da curva alvirrubra – como de praxe. Força que repercutiu dentro de campo, com a vitória do WAC por 3 a 1. Achraf Bencharki terminou como destaque na noite, autor de dois gols. Esta é a terceira final do Wydad, a primeira desde 2011, quando perderam para o Espérance. O único título dos marroquinos no torneio aconteceu ainda em 1992, enquanto os rivais do Raja Casablanca possuem três troféus.

Do outro lado, o Al Ahly carrega o currículo mais vitorioso do futebol africano, tentando adicionar mais uma estrela ao peito. Os egípcios tomaram um susto, ao perderem o primeiro jogo contra o Étoile du Sahel, por 2 a 1. Reverteram a situação neste domingo, diante de 50 mil torcedores no Estádio Borg El Arab, em Alexandria – local onde Mohammed Salah recolocou a seleção na Copa do Mundo após 28 anos, e também utilizado pelos clubes do Cairo por questões de segurança. Ao longo dos 90 minutos, os Diabos Vermelhos não deram chances aos tunisianos. Golearam por 6 a 2, com uma tripleta de Walid Azaro. Será a 11ª final do Al Ahly, que busca o seu nono título na Champions africana, o primeiro desde 2013.

Desde já, é possível esperar duas partidas recheadas de rivalidade nas finais da Liga dos Campeões da África. A proximidade dos países e o gigantismo das torcidas aumenta as expectativas sobre os confrontos, que começam no próximo sábado, em Alexandria. Por ter feito a melhor campanha, o Wydad poderá disputar o segundo jogo em casa, no Estádio Mohammed V. Durante a fase de grupos, os gigantes africanos se enfrentaram duas vezes, com uma vitória por 2 a 0 para cada lado. Retrospecto que deixa ainda mais aberto o cenário para os dois jogaços que se desenham.