Depois de mais de seis meses, Marouane Fellaini conseguiu ter uma atuação do nível que se esperava dele desde sua chegada ao Manchester United. A quantia gasta no belga (£ 27 .5 milhões) foi bastante discutível, mesmo considerando a grande temporada que havia feito pelo Everton, e seu primeiro semestre nos Red Devils não ajudou a amenizar as críticas ao alto valor pago. Agora, o jogador parece finalmente estar chegando à sua melhor forma física, após sofrer com contusões, e seu desempenho diante do West Bromwich na vitória por 3 a 0, por enquanto um acidente, pode ser um indício de que o atleta finalmente está pronto para dar a contribuição de que a equipe precisa no meio de campo.

Parte da falta de criatividade do Manchester United até aqui na temporada vinha sendo atribuída à falta de um companheiro de qualidade para Michael Carrick, no miolo do meio-campo. Tom Cleverley só decepcionou quando esteve por ali. Phil Jones foi utilizado inúmeras vezes, mas, é claro, não poderia ser esse cara sendo um zagueiro de origem. Fellaini, enquanto isso, mal ficava à disposição de David Moyes, sempre contundido. O belga recuperou-se de sua última lesão no início de fevereiro e, aos poucos, foi entrando no time titular. E hoje, um mês depois de sua completa reabilitação, fez sua primeira grande partida.

É verdade que o West Bromwich, que flerta com a zona de rebaixamento, não é lá o melhor parâmetro para se avaliar o nível do United, mas uma vitória contundente como a deste sábado não chegava aos Red Devils há um bom tempo, portanto não dá para descartar sua importância. Embora o time tenha finalizado pouco a gol, foi bem quando o fez. A criação de jogadas, embora não sendo fantástica, foi bem melhor que a média da temporada. E Fellaini foi importante para isso. Dos 71 passes que tentou, o belga acertou 64, obtendo uma porcentagem de precisão de 90%. A jogada mais significativa de sua participação no jogo foi quando avançou um pouco para oferecer a Wayne Rooney uma tabela, que terminou no gol de Danny Welbeck, decretando a vitória.

Como parte do miolo do meio-campo, espera-se que Fellaini se saia bem defensivamente, assim como na construção de jogadas, e o atleta correspondeu nesse quesito. Embora com um certo excesso de faltas, voltou bastante para ajudar na marcação pelo lado direito, sendo importante para dar mais liberdade às subidas de Rafael, que renderam ao time o segundo gol, com cruzamento do brasileiro para cabeçada de Rooney.

Mais uma vez, é bom lembrar que o West Brom é um parâmetro que pouco se sustenta como adversário de qualidade, para dar completa legitimidade à atuação do time. Ainda assim, a importância de uma vitória como essa, com boa construção de jogadas e em um momento em que Moyes se via mais pressionado que nunca, precisa ser exaltada. Quanto a Fellaini, ainda é cedo para falar que finalmente ele começará a corresponder às expectativas, mas seu desempenho hoje certamente lhe garante um lugar no time titular para o próximo jogo. Ou seja, mais uma chance para ser relevante na equipe. Caberá a ele aproveitar o momento.