Florentino Pérez desabafou. Em uma entrevista publicada nesta terça no diário Marca, o presidente Real Madrid falou a respeito do momento ruim vivido pelo clube, com a pressão da torcida, o desempenho abaixo do esperado em campo e, claro, a situação de Vanderlei Luxemburgo.

O dirigente assegurou a permanência de Luxemburgo no comando da equipe. “Não há razões para trocar de treinador. Ninguém no Real Madrid falou com o Fabio Capello nem confirmaram coisa alguma”. Porém, Pérez admitiu gostar tanto do técnico da Juventus como de José Mourinho e Arsène Wenger. Além disso, fez questão de mostrar que as portas do clube estão abertas para Vicente Del Bosque.

Ele acredita haver críticas “mal intencionadas” em relação à sua equipe. “Creio que tenhamos a equipe mais completa desde que sou presidente. Apesar de o time não jogar bem, a torcida continua animando seus jogadores, isso é comunhão com a equipe”.

Mas e as vaias ouvidas nas últimas partidas no Santiago Bernabéu? “A única coisa que recebi dos sócios foram demonstrações de carinho”, respondeu. Mas Pérez condenou as críticas dos fãs a Robinho. “Quando vi alguns torcedores o vaiarem, creio não ser esta uma maneira de ajudar. É um jogador de 21 anos que veio do Brasil e precisa se adaptar. Todos devemos ajudá-lo. Se quisermos que Robinho acelere seu processo de adaptação, precisamos auxiliá-lo. Se as pessoas o vaiam será pior por conta da ansiedade”, comentou.

Sobre o mau começo de temporada, Perez falou sobre o grande número de jogadores lesionados, como Ronaldo, Raúl, Zidane, Júlio Baptista… “Tivemos doze jogadores contundidos e azar com algumas arbitragens. Além disso, Zidane se lesionou com a seleção francesa, não jogou na Liga, voltou a se machucar com a França e voltou quando não estava totalmente recuperado. O grande defeito do Zidane foi querer atuar estando machucado e por isso não foi bem”.

Ronaldo também recebeu uma leve crítica do presidente. “Ele tem 29 anos, a melhor idade para um jogador. Começou muito bem, estava em seu melhor momento, mas se machucou. Ele quis jogar contra o Barcelona mas foi um erro porque não estava em condições”.