O Fluminense sabia que sua situação para a rodada final do Campeonato Brasileiro era complicadíssima. Os Tricolores não dependiam apenas de si e, de fato, somente a vitória sobre o Bahia em Salvador não ajudou. O campeão brasileiro de 2012 terá que disputar a segunda divisão em 2014 – um caso inédito no Brasil e com poucos exemplos em outras ligas de elite.

No entanto, o problema para o Fluminense é bem menos superficial do que jogar a Segundona. Por todo o aporte que têm, não restam muitas dúvidas de que os tricolores deverão passar pouco tempo longe da elite. Mas, quão grande será essa força em 2014? A queda deixa também diversas lacunas para o clube preencher. Em campo, no comando e até mesmo na diretoria. Desde já, são três interrogações:

Como ficará a relação com a Unimed?

O contrato de patrocínio da Unimed já estava garantido para 2014 desde novembro, independentemente do destino do time na Série A. Entretanto, Celso Barros já tinha sinalizado a redução dos investimentos da empresa, que banca os salários de vários dos protagonistas do clube. A vinda de Darío Conca está concluída e a segundona não atrapalhará o retorno do meia às Laranjeiras. A dúvida maior é sobre os que já estão no Tricolor. A saída de Deco reduziu o encargo, mas quais os planos com o time fora da elite? Vale lembrar que a Unimed apoiava o Flu desde os tempos de Série C. Mesmo assim, os contextos são totalmente diferentes. Na época, a chegada do patrocinador visava uma reconstrução – não a recuperação, como agora. Além disso, depois de tantos anos de parceria, o desgaste é natural, especialmente quando há influência direta no que acontece nos vestiários.

Quem comandará o Flu?

O contrato feito com Dorival Júnior deixa claro que o Fluminense não queria compromisso longo. O treinador assumiu até o final do Brasileiro, deixando a brecha para que um figurão fosse trazido com a permanência na Série A ou para que Dorival fosse recompensado pelo trabalho. Por fim, a queda deixa interrogações maiores. Dorival Júnior será mantido mesmo sem cumprir seu objetivo ou se apostará nos trabalhos de reconstrução que o elevaram de patamar há alguns anos? Se o técnico sair, quem seria o nome ideal para reconduzir o clube à elite? Vale ressaltar que o poder de atração dos tricolores no mercado de técnicos é bem menor com o time longe do topo.

Diego Cavalieri e Fred permanecerão?

Dois dos principais jogadores do Fluminense têm reais chances de disputar a Copa. Serão poucas rodadas da Série B até a convocação final de Felipão. Ainda assim, a saída da dupla fica em aberto com a queda. Fred está mais estabelecido no elenco, especialmente depois das ótimas atuações com a Seleção desde o início do ano. No entanto, o artilheiro entrou poucas vezes em campo nos últimos meses e teria propostas do exterior. Já Cavalieri ainda concorre pelo posto de terceiro goleiro com Victor, que correspondeu bem nos últimos amistosos.