Jogadores franceses comemoram o gol que abriu o placar (AP Photo/Hassan Ammar)

França 2×0 Nigéria: Bleus avançam, mas foi muito mais difícil que o esperado

A crônica

A França exerceu o favoritismo que tinha sobre a Nigéria no papel e avançou às quartas de final. Mas devemos reconhecer que isso apenas no placar, pois o jogo foi muito mais equilibrado que qualquer um poderia ter imaginado. E não por falta de qualidade dos Bleus, mas, sim, pela ótima partida realizada pelos nigerianos. O ataque francês foi envolvente como vimos em outros jogos. Demorou para conseguir seus gols, mas levou perigo constantemente. Já a agilidade das Super Águias foi o que dificultou a vida da defesa da França. O Mané Garrincha foi palco de uma vitória por 2 a 0 para a seleção francesa, mas dá para dizer que um 3 a 2 dos Bleus seria um placar muito mais justo pelo que foi o jogo.

Pela campanha empolgante na fase de grupos da França, a expectativa era de que os Bleus conseguissem a vitória sem maiores problemas, dominando as ações ofensivas, ao menos. O que se viu nos primeiros 15 minutos de jogo, no entanto, foi a quebra dessa previsão. Os nigerianos começaram melhores na partida, chegando frequentemente ao ataque e deixando os defensores franceses perdidos, tamanha era a movimentação e alternância de posições dos jogadores do setor ofensivo das Super Águias. Emenike chegou até a marcar o primeiro gol do duelo, mas o lance foi corretamente anulado por causa de um impedimento de alguns poucos centímetros do atacante.

A França começou então a ganhar terreno e teve sua primeira grande chance cerca de cinco minutos depois do gol anulado da Nigéria. Paul Pogba, de capacidade técnica tremenda, deu mais uma mostra do seu potencial: dominou a bola no meio do campo, arrancou para o ataque, passando por um marcador no meio do caminho, rolou para Valbuena e recebeu de volta em um cruzamento. Pegou um sem-pulo para completar a jogada e forçou Enyeama a fazer boa defesa para evitar que os Bleus abrissem o placar.

A partir disso, a Nigéria não conseguiu mais pressionar a França como nos primeiros minutos. A seleção francesa começou a crescer no jogo e quase abriu o placar com Debuchy, após boa arrancada de Matuidi e ótima ajeitada de Valbuena. Esse cenário foi brevemente interrompido nos últimos lances da primeira etapa, com franceses e nigerianos revezando ataques, mas sem sucesso em balançar a rede.

A Nigéria voltou melhor para o segundo tempo. Sofreu uma baixa com a saída de Onazi, contundido por causa de entrada desleal de Matuidi, mas não sentiu tanto a troca, para a entrada de Reuben Gabriel. Precisando reequilibrar as ações, a França promoveu sua primeira mudança, sacando Giroud e mandando a campo Griezmann, o que fez Benzema ir mais para o centro, e o reserva para a ponta esquerda.

Mesmo com a alteração de Deschamps, a Nigéria seguiu melhor até metade do segundo tempo. Aos 18 minutos, Odemwingie levou perigo com uma boa finalização de fora da área, apesar dos vários jogadores que o cercavam. Lloris espalmou para evitar o gol. A resposta dos franceses veio em grande estilo. Benzema tabelou com Griezmann, saiu na cara do gol e chutou, mas Enyeama fez defesaça. A bola ainda resvalou em Benzema de novo e foi em direção ao gol, mas Moses apareceu em cima da linha para chutar para frente.

Como em quase todo o jogo, um time pressionava por uns 20 minutos, o outro respondia com um lance perigoso, e a partida mudava de dono. Seguindo isso, os franceses cresceram no jogo. Aos 31 minutos, um chute cruzado de Benzema foi salvo pela zaga nigeriana embaixo da trave. Na sequência, Cabaye acertou o travessão com um grande chute da entrada da área.

O avanço da França seguiu, e Benzema mais uma vez forçou Enyeama a fazer defesaça, espalmando para escanteio uma cabeçada perigosa do atacante. Na cobrança da bola parada, no entanto, o próprio goleiro, que fazia grande partida, foi o vilão. Enyeama saiu mal, tocando de leve em vez de dar um soco para a frente, e a bola sobrou para Pogba, de cabeça, abrir o placar.

Griezmann havia entrado aos 17 minutos do segundo tempo e fazia grande partida pelos Bleus. Aos 38 minutos, fez Enyeama ser mais uma vez herói, finalizando forte, alto, e o nigeriano espalmou para fora. Mais tarde, o jovem da Real Sociedad foi determinante para o segundo gol, que classificou de vez a França. Já nos acréscimos, Valbuena cobrou escanteio curto, tabelou, e tocou para a área. Griezmann chegou finalizando, e Yobo desviou contra a própria meta.

O meio de campo e o ataque francês passam a impressão de que, com mais dois anos de entrosamento e jogos juntos, serão imbatíveis. E isso sem contar com Franck Ribéry. Antoine Griezmann talvez tenha ganho de vez a posição, despachando Giroud para o banco. Com o trio ofensivo que jogou a segunda metade da etapa complementar, mais os meio-campistas titulares, dá para apostar que a França será um adversário duro para Alemanha ou Argélia nas quartas.

FICHA TÉCNICA

França 2×0 Nigéria

França

França

Hugo Lloris; Mathieu Debuchy, Raphäel Varane, Laurent Koscielny e Patrice Evra; Yohan Cabaye, Paul Pogba e Blaise Matuidi; Mathieu Valbuena (Moussa Sissoko, 49′/2T), Olivier Giroud (Antoine Griezmann, 17′/2T) e Karim Benzema. Técnico: Didier Deschamps.

Nigéria

Nigéria EscudoVincent Enyeama; Efe Ambrose, Joseph Yobo, Kenneth Omeruo e Juwon Oshaniwa; Ogenyi Onazi (Reuben Gabriel, 14′/2T), John Obi Mikel, Peter Odemwingie, Victor Moses (Uche Nwofor, 44′/2T) e Ahmed Musa; Emmanuel Emenike. Técnico: Stephen Keshi.

Local: Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília

Árbitro: Mark Geiger(EUA)

Gols: Paul Pogba, 34′/2T, Joseph Yobo (contra), 46′/2T

Cartões amarelos: Blaise Matuidi

Cartões vermelhos: nenhum

O cara

Paul Pogba
Pogba comemora o primeiro gol francês no Mané Garrincha (AP Photo/Andrew Medichini)

Pogba comemora o primeiro gol francês no Mané Garrincha (AP Photo/Andrew Medichini)

Pela segunda vez seguida, foi o melhor jogador da França na partida. Contra o Equador, não conseguiu tirar o placar do zero, mas diante da Nigéria foi essencial, anotando o primeiro gol. Movimentou-se muito bem, executou dribles desconcertantes e foi importantíssimo na armação de jogadas francesas, atuando próximo de Valbuena na direita. Impressionante pensar que tem apenas 21 anos e joga com tamanha classe, boa postura e personalidade.

Os gols

34’/2T: GOL DA FRANÇA!

Valbuena cobra escanteio, Enyeama sai mal, tocando de leve na bola, e Pogba pega a sobra de cabeça para abrir o placar para os Bleus.

46’/2T: GOL DA FRANÇA!

Valbuena cobra escanteio curto, tabela e toca para o meio da área. Griezmann finaliza, a bola pega em Yobo e entra para o gol.

A Tática

Escalações iniciais de França e Nigéria

Escalações iniciais de França e Nigéria

Com exceção de Benzema e Giroud, que frequentemente alternam posições, os franceses ficam bastante fixos em suas posições. Cabaye é o responsável pelo primeiro passe no meio de campo, e Matuidi e Pogba têm mais liberdade para avançar. Aberto pela direita, Valbuena também cai pelo meio, mas não tão frequentemente. Já a Nigéria mostra maior mobilidade ofensiva, com Musa e Odemwingie alternando os flancos, Onazi avançando mais que Mikel e Emenike saindo da área para facilitar a troca de passes.

A Estatística

12

A França não levou nenhum gol nos primeiros tempos das 12 últimas partidas que disputou.