Diego Costa tem sido o jogador mais falado do Atlético de Madrid, que é vice-líder do Campeonato Espanhol e tem uma campanha digna de time de ponta. Não por acaso, já que o atacante tem 15 gols em 15 jogos. Só que há outro destaque no time. O capitão Gabi, 30 anos, jogou todas as 15 partidas do Campeonato Espanhol até aqui e tem sido um dos principais nomes do time, com técnica quando tem a bola e com a intensidade na marcação que marcou a carreira do técnico do time, o ex-volante Diego Simeone. As semelhanças entre os dois jogadores não é por acaso.

Gabi não irá figurar nas listas de melhores do mundo e dificilmente irá jogar a Copa do Mundo pela Espanha em 2014. Mesmo assim, é um jogador fundamental no time que tem surpreendido nesta temporada na Espanha, ficando à frente do rival de capital espanhol, o Real Madrid. É o jogador que mais recupera bolas no Atlético, nove por jogo. É também aquele que mais sabe a importância das chamadas faltas táticas, que matam o contra-ataque adversário, parte da estratégia de Simone. O camisa 14 do Atlético sabe que esse tipo de falta tem que ser discreta, sem violência, para evitar tomar um cartão bobo.

O volante conheceu Simeone em 2004, quando o argentino, então um experiente jogador já na fase final da carreira voltou ao time de Madrid. Gabi era um garoto, tinha acabado de subir para o time principal. Acabou emprestado ao Getafe na temporada 2004/05, antes de voltar ao Atleti e ser vendido ao Zaragoza em 2007, vendido por € 9 milhões.

O contato com Simeone foi pequeno, mas o seu relacionamento com o técnico certamente tem uma influência grande desde a chegada do argentino ao comando técnico do clube, em dezembro de 2011. Naquela temporada, o jogador tinha voltado ao Atlético por € 3 milhões. E foi com o novo técnico que o jogador tornou-se um líder dentro de campo. A faixa de capitão, a camisa 14, a importância tática e técnica. As semelhanças com Simeone não são poucas.

Mesmo jogando recuado, Gabi é o segundo jogador que mais fez passes para gols entre os jogadores do Atlético de Madrid com quatro assistências, atrás apenas de Koke, que tem seis. É o jogador que mais faz passes no time em média, com 52,9 passes por partida. Exerce uma influência importante entre os jogadores, tanto em campo quanto no vestiário.

Na vitória sobre o Elche, neste sábado, Gabi fez dez desarmes e cometeu apenas uma falta. Fez 60 passes na partida, mais do que qualquer outro jogador do time, fez quatro lançamentos longos precisos e comandou o time. O Atlético de Madrid tem o poder de fogo de Diego Costa como uma poderosa arma, mas também conta com o respaldo do comandante do meio-campo, Gabi, o homem de confiança de Simeone. A sua imagem e semelhança dentro do campo de jogo. E isso é fundamental para que o time mantenha a intensidade que tanto o técnico quer.