O Galatasaray investiu alto ao longo de 2013. Os quase € 30 milhões desembolsados no mercado de transferências não se sugerem tão altos quando se compara com a inflação do mercado europeu. No entanto, somados também os salários, os turcos montaram uma equipe para se meter entre os figurões da Europa. Era esse o recado dado com Didier Drogba e Wesley Sneijder, escoltados por um bom elenco. E foi isso que o Cim Bom conseguiu fazer na Liga dos Campeões, ainda que aos trancos e barrancos.

O sucesso do Galatasaray precisa ser relativizado. As goleadas engolidas contra o Real Madrid, especialmente os 6 a 1 engolidos em Istambul, demonstram o quanto a equipe é frágil. Depois da chegada dos astros, Fatih Terim penou para encaixar o coletivo. Algo pelo qual acabou demitido e que Roberto Mancini também não vem resolvendo. Tanto é que os atuais bicampeões nacionais não passam da quarta colocação no Campeonato Turco. Mas pelo menos eles podem se agarrar ao poder de decisão dos craques, que fez a diferença na LC.

O jogo definitivo contra a Juventus foi uma pelada. Partida interrompida por causa da neve na terça, retomado na quarta com o gramado em condições impraticáveis. Ainda assim, os dois times aceitaram o desafio. E, no antijogo proporcionado pelo gramado cheio de lama, quem se deu melhor foi o Galatasaray. Travou os bianconeri e, aos 40 do segundo tempo, achou o gol da vitória. Drogba escorou e Sneijder marcou, resolvendo em um duelo no qual as oportunidades foram escassas. O suficiente para a classificação.

Não dá para esperar um futebol bonito do Galatasaray. Porém, basta os Aslanlar encaixarem seu jogo defensivo para se tornarem perigosíssimos. É o time que joga por uma bola, para Drogba, Sneijder ou Yilmaz, três nomes cujo poder de fogo é conhecido. Quem pagou caro por isso foi a Juventus, outra vez decepcionando na Champions. Em todos os seus jogos na fase de grupos, houve momentos em que a Velha Senhora falhou no momento decisivo. Perdeu pontos importantes contra Kobenhavn e Real Madrid, acabou superada pelo Galatasaray pelo excesso de empates. Agora, irá se concentrar na busca pelo tricampeonato italiano.

Ao Galatasaray, restará torcer por um bom sorteio. Dificilmente os turcos superarão equipes com ataques mais consistentes, como Bayern de Munique, Barcelona ou Atlético de Madrid. No entanto, se tiverem sorte, não duvidem uma surpresa. Contra a Juventus, não houve exuberância. Mas o pragmatismo já foi suficiente para deixar um gigante europeu para trás.