25 marcas de carros que tiveram os seus próprios clubes de futebol

21 de Maio de 2015 às 14:43




A Juventus pode conquistar o seu terceiro título da Liga dos Campeões e o Ingolstadt alcançou pela primeira vez o acesso na Bundesliga. Por outro lado, o Sochaux firmou nesta semana um acordo para ser vendido a um grupo de investidores chineses. Clubes que vivem momentos distintos e são de países diferentes, mas que possuem bastante em comum. Os três dependem do aporte financeiro da indústria automotiva. Se a Fiat e a Audi desfrutam dos bons resultados na Itália e na Alemanha, a Peugeot abrirá mão daquele que foi o seu xodó por quase 90 anos.

A história do futebol está diretamente ligada à massa trabalhadora. Muitos clubes tradicionais surgiram dentro das fábricas. Entre elas, grandes companhias do setor automotivo. Com o passar dos anos, a transformação da economia também modificou essas relações. O futebol também se tornou um grande negócio, e não é surpreendente que as companhias gigantescas busquem fazer o dinheiro com os clubes.

O fenômeno é marcante principalmente na Europa e na Ásia. Enquanto muitos times da Europa Ocidental se beneficiaram com o investimento das indústrias em suas cidades-sede, na antiga Cortina de Ferro as empresas estatais patrocinaram os próprios clubes. Já no Extremo Oriente, os operários foram o ponto de partida para o desenvolvimento do futebol, principalmente no Japão e na Coreia do Sul. Um apoio que não se repete da mesma maneira na América do Sul, por exemplo, onde a fábricas são majoritariamente multinacionais. No máximo, há o patrocínio, como o que a Volkswagen dava ao Taubaté nas divisões inferiores do Paulistão. Mesmo assim, nada que tornasse o Burro da Central um novo Wolfsburg.

Ver marcas de carro estampando as camisas de clubes, no entanto, é bastante comum. Na galeria abaixo, fomos além: reunimos 25 clubes ao redor do mundo que possuem suas trajetórias profundamente marcadas pelas companhias automotivas. Obviamente, alguns times não estão contemplados na lista, assim como alguns foram extintos. Reunimos os exemplos mais interessantes, que mostram como a indústria do setor movimentou o futebol ao longo das últimas décadas.