Jogador por jogador, como o Leicester montou o time que surpreende na Premier League

7 de Fevereiro de 2016 às 10:35




A cada rodada, a dúvida se renovava. Será que o Leicester vai aguentar na briga pelo título da Premier League? Mas, neste momento, já não restam mais tantas interrogações sobre a capacidade do time de Claudio Ranieri. Derrotado apenas duas vezes, o clube até oscilou na virada dos turnos. A sequência nas últimas cinco rodadas, no entanto, reafirma a força das Raposas. O único tropeço veio justamente contra o lanterna Aston Villa. Enquanto isso, o Leicester derrotou o Tottenham em White Hart Lane e conquistou vitórias imponentes contra Liverpool e Stoke City no Estádio King Power. Até o resultado inapelável diante do Manchester City, com os 3 a 1 em pleno Estádio Etihad neste sábado.

As maiores questões restavam se colocavam sobre a profundidade do elenco do Leicester, bem como sobre a fase magnífica de seus protagonistas. Porém, depois de 25 rodadas, o time parece ter fôlego para aguentar ainda mais. É claro que há chão até o final e, em campeonato de pontos corridos, nunca dá para bobear. Mesmo assim, as Raposas fazem muito além das expectativas. Especialmente para um time titular que custou pouco mais do que o Chelsea pagou para trazer Pedro do Barcelona.

O investimento total do Leicester para contratar os seus 11 titulares não passa de £ 24,2 milhões. Um valor até alto para os padrões de outras ligas, mas que é uma enorme pechincha na Premier League. Todos os três que custaram acima de £ 2 milhões, aliás, foram comprados em definitivo nesta temporada, inflacionada pelos acordos de TV. As transferências de seis dos intocáveis de Ranieri aconteceram por valores abaixo de £ 1 milhão – incluindo Jamie Vardy e Ryad Mahrez, além do capitão Wes Morgan. E dois jogadores ainda desembarcaram na cidade sem custos, quando o time já tinha voltado à primeira divisão.

Assim, o Leicester que lidera a Premier League se montou através de apostas. De promessas que não vingavam, de destaques em divisões inferiores, de atletas apontando o declínio, de bons nomes observados em países vizinhos. Com alguns deles, as Raposas conquistaram o acesso em 2014. Outra parte se firmou justamente na reta final da Premier League 2014/15, quando o time escapou do rebaixamento com sete vitórias nas nove rodadas finais. E houve, é claro, quem se consolidasse rapidamente na atual temporada.

Mesmo Claudio Ranieri, apesar da vasta experiência, pode ser considerado uma aposta de risco que vingou. O currículo do italiano traz clubes de peso, como Napoli, Fiorentina, Valencia, Parma, Juventus, Roma, Internazionale e Monaco. Mas o fato é que ele andava em baixa, quase sempre demitido por não cumprir as expectativas. E seu trabalho anterior, na seleção grega, terminou como uma completa decepção – incluindo duas derrotas para as Ilhas Faroe e a lanterna nas Eliminatórias da Euro 2016. Ranieri voltava ao país onde viveu bons momentos com o Chelsea, especialmente na era pré-Abramovich, mas com a dura missão de substituir Nigel Pearson – que subiu com as Raposas e as salvou da queda, embora tenha sido demitido por entrar em colisão com a diretoria. Pois o italiano se reinventou e levou o clube a um novo patamar, montando um time de táticas simples, eficazes e com muita coesão.

Obviamente, nem tudo ocorreu à perfeição no Estádio King Power. Há também aqueles que estão abaixo do esperado, como Gökhan Inler, trazido para substituir Esteban Cambiasso, o melhor do time na última temporada. Contudo, o suíço aparece como um ponto fora da curva, diante de tantos outros acertos que se mostravam mais difíceis de acontecer. Abaixo, contamos a trajetória de cada um dos 11 titulares ao Leicester, assim como a dos demais jogadores do elenco com pelo menos dez aparições nesta Premier League. Confira: