Dificilmente dois times rivais têm alegrias na mesma temporada. Muitas vezes a ruína de um dos dois inclusive é o motivo da felicidade alheia… Mas às vezes acontece sim. Ou quase acontece. Na Bolívia a temporada 2011-12 estava marcada por alegrias de The Strongest e Bolívar até o início de março, uma vez que La Academia havia vencido o Torneo Adecuación no primeiro semestre de 2011 e o Tigre era o campeão do Apertura, disputado no segundo semestre. Além disso ambos faziam bons papéis na Libertadores e mantinham grandes chances de classificação.

Em seis dias o equilíbrio e as alegrias mudaram. No dia 8 de março o Bolívar foi a Barranquilla, na Colômbia, e arrancou uma impressionante vitória por 1 a 0 pelo torneio continental. Três dias depois, no domingo, La Academia e o Tigre se enfrentaram no Clausura boliviano e empataram em 1 a 1. Na terça-feira seguinte a gangorra se alterou… E elevou o Bolívar. Foi quando o The Strongest veio a Porto Alegre para tentar um improvável empate com o time do Inter, mas voltou com uma derrota por 5 a 0. Melhor dizendo, parte do Strongest voltou… O técnico Mauricio Soria acabou ficando. Não estava oficialmente demitido, mas o fato de não ter  retornado junto do restante da delegação já confirmava: ele não era mais o comandante atigrado. A diretoria alegou que Soria não conseguia mais motivar o time e que havia jogadores claramente indispostos no elenco. A solução foi se virar com o interino Uber Acosta.

Enquanto isso o Bolívar dava um “bico” no campeonato boliviano e seguia fazendo bonito na Libertadores. Depois do triunfo contra o Junior, a equipe de Angel Guillermo Hoyos venceu de novo os colombianos, desta vez em La Paz, por 2 a 1, perdeu pelo mesmo placar para a Unión Española – dando um trabalhão – e atropelou a Universidad Católica com um 3 a 0 em casa, conseguindo a classificação para as oitavas da Libertadores pela primeira vez em 11 temporadas.

Ao mesmo tempo, Eduardo Villegas assumia o The Strongest praticamente sem condições de classificação à segunda fase. Praticamente porque restava apenas a opção de torcer pelo Juan Aurich contra o Inter e bater ninguém mais, ninguém menos, do que o Santos na Vila Belmiro. Não deu…

Por incrível que pareça a partir daí veio a virada. Totalmente concentrados no campeonato nacional, os Tigres, que da primeira até a 14ª rodada tinham ficado entre a quinta e a penúltima posição, – sendo quatro rodadas seguidas entre os dois últimos – engataram uma boa sequência. Nas seis partidas seguintes foram quatro vitórias, um empate e uma derrota.

Foram triunfos nos dias em que o Bolívar vivia o auge, após vencer o Santos por 2 a 1 em La Paz. A crença do clube era de que seria possível fazer história e bater o atual campeão continental. No dia 10 de maio a gangorra inverteu de novo…

Na mesma hora em que o time principal do Bolívar era humilhado pelo Santos e o reserva perdia por W.O para o Universitario no Clausura, o The Strongest aplicava impiedosos 8 a 1 no Guabirá, mantendo a disputa pelo título nacional aberta. Os oito gols sofridos pelo cerebral e tático Bolívar e os oito gols marcados pelo aguerrido e lutador The Strongest resumiram tudo o que viria dali em diante.

Sem chances de aspirar a qualquer coisa no semestre, e envolta por rumores da saída de Hoyos e cortes drásticos de orçamento para a segunda metade do ano, La Academia só cumpriu tabela na última rodada. Do outro lado, com uma remota chance de título, o Tigre foi a campo contra o San Jose, outro postulante à conquista,  com a faca entre os dentes. A equipe precisava ganhar e ainda torcer por um tropeço do Oriente Petrolero, que jogava contra o Nacional de Potosí. Dessa vez deu…

Contando com a inspiração e entrega de seus dois melhores jogadores – Alejandro Chumacero e Pablo Escobar – o The Strongest venceu o San Jose por 2 a 1 e se aproveitou do empate em 2 a 2 entre Oriente e Nacional de Potosí para sair com a conquista no saldo de gols. As três equipes encerraram o campeonato com 38 pontos, mas o Tigre teve saldo 19, contra 16 do San Jose, e faturou seu nono título nacional.

Uma semana depois a gangorra está ainda mais elevada na parte atigrada. Enquanto a diretoria do Bolívar anunciou que deve cortar cerca de 40% dos salários do time, o que inevitavelmente vai acarretar em dispensas, o The Strongest já disse que 60% do atual time está de contrato renovado. Se do lado azul a continuidade de Hoyos não está garantida, no setor amarelo e preto Eduardo Villegas é tratado como herói. Se o The Strongest pode se dar ao luxo de já se preparar para a Libertadores 2013, o Bolívar ainda precisa batalhar dentro de campo para conseguir sua vaga…

Em suma: em poucos dias os dois principais times do futebol boliviano foram do céu ao inferno e do inferno ao céu. Se a gangorra continuará desequilibrada, o próximo campeonato dirá… O que já é garantido, porém, é que esse pouco tempo de mudança vai acarretar em alterações pesadas para os próximos seis meses. Alterações que não são poucas…

Tuitadas da Libertadores

Libertad 1×1 U. de Chile: O Libertad foi superior à Universidad de Chile, que não conseguiu acertar a marcação pelos lados do campo. O resultado, porém, é amplamente favorável a La U.

Vasco 0×0 Corinthians: Em jogo de poucos riscos e gramado ruim pra diabo, Vasco e Corinthians não saíram do zero. A partida no Pacaembu cheira a pênaltis.

Boca 1×0 Fluminense: Bom para o Boca, que venceu e bom para o Flu, que só perdeu de um. Na volta os xeneizes poderão jogar nos contra-ataques e se aproveitar das enfiadas de Riquelme e velocidade dos atacantes.

Vélez 1×0 Santos: Uma ótima partida do Vélez terminou com uma vitória justa contra o atual campeão continental. De forma inexplicável Muricy quis culpar o cansaço pela derrota santista. O mesmo Muriciy que poderia ter poupado jogadores na final do Paulista.

Mais bolivianas

 

- Além do trofeu, o The Strongest garantiu um posto na Libertadores do ano que vem. O vice-campeão San Jose também obteve um lugar na disputa continental, enquanto a terceira vaga boliviana será do campeão do Apertura 2012, que será disputado no segundo semestre deste ano.

- O Oriente Petrolero, por sua vez, está na Copa Sul-Americana de 2013.

- Em relação ao rebaixamento e promoção, as certezas até agora são que o Real Mamoré caiu e que o Petrolero subiu. Os dois outros integrantes da série A na zona de rebaixamento, Guabirá e La Paz, enfrentarão Jorge Wilstermann e Destroyers, respectivamente. Os vencedores da disputa em dois jogos – três em caso de empate – estarão na elite no próximo campeonato.

Paraguaias

- No Apertura paraguaio, o Olimpia tropeçou ao ficar no 0 a 0 com o Nacional e abriu caminho para uma nova chegada do Cerro Porteño. Os cerristas bateram o Rubio Ñu por 3 a 2. Com o triunfo a diferença na ponta da tabela caiu para três pontos. O Olimpia tem 37 pontos em 16 jogos contra 34 pontos do Cerro.

- O Cerro Porteño anunciou nesta semana a contratação do técnico uruguaio Jorge Fossati, ex-Internacional. Fossati estava no futebol do Catar desde a saída da equipe de Porto Alegre. Ele substitui o interino Hugo Caballero.

Uruguaias

- No Clausura do Uruguai o Defensor Sporting manteve a liderança e a boa sequência ao vencer o Cerro Largo por 2 a 1. Os violetas chegaram a 32 pontos em 12 jogos. A segunda posição é do Liverpool, que fez 2 a 1 no Rentistas e que chegou aos 28 pontos. O terceiro lugar é do Peñarol, que goleou o Montevideo Wanderers por 5 a 1 e que agora tem 26 pontos.

- Quem perdeu o pique foi o Nacional. Os bolsilludos empataram em 1 a 1 com o Rampla Juniors e pararam nos 26 pontos, ocupando agora a quarta posição.

Equatorianas

- No Equador o Independiente del Valle perdeu por 3 a 0 para o Manta e viu a LDU Loja igualar a pontuação, após o empate em 2 a 2 com a LDU mais famosa, a de Quito. Independiente e LDU Loja tem 26 pontos em 15 jogos. A LDU de Quito tem 25, mesma pontuação do Barcelona, que venceu o Olmedo por 2 a 0, e do Emelec, que fez 2 a 1 no Deportivo Cuenca.

- O Deportivo Quito venceu o El Nacional por 3 a 0 e agora é o sétimo colocado.

- Deportivo Quito que demitiu o técnico Carlos Ischia após a derrota por 6 a 0 para a Universidad de Chile. O motivo do desligamento, porém, foram as críticas que o comandante argentino havia feito à diretoria, sobretudo em relação a salários atrasados dos jogadores.

Chilenas

- No Chile cinco times já estão classificados para os playoffs: Universidad de Chile, O'Higgins, Deportes Iquique, Universidad Católica e Unión Española.

- Brigam pelas três vagas restantes: Cobreloa, Huachipato, Colo Colo, Unión La Calera, Santiago Wanderers, Universidad de Concepción e Audax Italiano.

- O fim de semana foi marcado pelo clássico universitário, vencido pela Universidad Católica por 2 a 1. 

Colombianas

- No Apertura colombiano o já classificado Tolima fez 2 a 0 no Quindío e manteve a ponta. O Atletico Huila, que também está classificado, perdeu do Real Cartagena. Quem também garantiu a vaga nos quadrangulares foi La Equidad, que ficou no 1 a 1 com o Once Caldas. Faltando dois jogos, os outros cinco classificados hoje seriam: Santa Fe, Itagüí, Deportivo Pasto, Boyacá Chicó e Deportivo Cali.

- O Atlético Nacional estreou o técnico Juan Carlos Osorio e conseguiu vencer o Junior por 3 a 1.

- O Once Caldas deve anunciar em breve a contratação de Leonel Alvarez, ex-técnico da seleção colombiana. Eduardo Cruz, o atual comandante, não agrada à diretoria.

Venezuelanas

- Mesmo com o título da temporada garantido, o Deportivo Lara “fez questão” de vencer o último jogo do campeonato Clausura: 2 a 0 no Carabobo. Com o resultado o Lara encerrou a temporada com apenas uma derrota. Foram 83 pontos em 34 jogos, o que representa mais de 81% de aproveitamento.

- Também ficaram definidas as outras duas vagas para a Libertadores 2013. O Deportivo Anzoátegui, que corria por fora na briga, venceu o Aragua e conseguiu um lugar. O Caracas bateu o Atlético El Vigía e obteve outro. Quem ficou de fora foi o Mineros, que perdeu do Zulia por 1 a 0 e que terá que se contentar com a Sul-Americana deste ano.

- Na Venezuela há um torneio para decidir os outros dois representantes da Sul-Americana deste ano. Nesta primeira fase o Deportivo Táchira pega o Zulia, o Aragua enfrenta o Yaracuyanos, o Deportivo Petare joga contra o Monagas e o Zamora duela com o Trujillanos.

Peruanas

- Em terras peruanas a Universidad César Vallejo ficou no 1 a 1 com o León de Huánuco, mas manteve a liderança. A ponta da tabela está dividida com o Real Garcilaso, que fez 3 a 0 na Universidad San Martín. Os dois líderes tem 26 pontos em 13 jogos. Na terceira posição aparece o Sporting Cristal, que fez 4 a 0 no Cienciano.

- O Alianza Lima perdeu do Cobresol por 1 a 0 e é o 14º colocado. O Universitario foi derrotado pela Unión Comercio por 3 a 1 e ocupa agora a penúltima posição. O Juan Aurich, por sua vez, venceu o Sport Huancayo por 3 a 0 e é o sétimo colocado.