O Peru foi sorteado para o Grupo C da Copa do Mundo, ao lado de França, Dinamarca e Austrália. Um desafio interessante para os sul-americanos. No entanto, mesmo em inferioridade técnica em relação ao adversário, os homens de Ricardo Gareca não recuarão. A estratégia será sempre se impor e tentar comandar a partida. Palavra do professor, em entrevista ao site da Fifa.

LEIA MAIS: Desde o histórico gol pelo Peru, Farfán não deixou mais de balançar as redes

“Para esta equipe, a chave é se impor e tomar a iniciativa. Eu quero que comandemos as partidas, onde e com quem estivermos jogando. E, além das considerações táticas, pretendemos dar tudo de nós para dar alegria aos nossos torcedores porque eles merecem”, disse. “Ao se classificarem, todos os times envolvidos demonstraram que estão entre os melhores, então precisamos estar totalmente preparados para começar bem”.

Gareca não se preocupa com problemas logísticos, climáticos ou de adaptação à Rússia durante a Copa do Mundo. “Eu destacaria o fato de que os jogadores peruanos são tecnicamente bons, fortes e adaptáveis. A liga peruana é jogada em todas as condições possíveis: altitude, temperaturas quentes e em campos artificiais ou naturais. A habilidade de se adaptar será sem dúvida importante para nós na Rússia”, afirmou.

Em 1986, Gareca foi responsável pelo gol que eliminou o Peru nas Eliminatórias da Copa do Mundo, um golpe no coração dos torcedores peruanos. Mas ele compensou, três décadas depois, mesmo que sem a intenção. “Fui lembrado constantemente deste gol assim que cheguei ao Peru, mas nunca vi como algo que eu deveria compensar. Eu apenas fiz o que tinha que fazer como um jogador argentino, não foi nada pessoal. Mas, de qualquer maneira, fomos à Copa do Mundo agora, então ninguém mais está falando que eu estou em dívida. Sempre me manifestaram apoio incondicional e muito amor”, encerrou.