Quando pensamos em Gennaro Gattuso, a imagem é de um jogador muito raçudo, daqueles que corre demais, marca demais e não dá espaço ao adversário. Está sempre mordendo na marcação. Como técnico, o que temos do ex-volante ainda é pouco para avaliar, mas ele conseguiu quatro vitórias nos últimos cinco jogos no comando do Milan. E usou um método bem pouco ortodoxo após a vitória deste domingo contra a Lazio.

LEIA TAMBÉM: A Lazio perde sua chance, Cutrone aproveita a dele: Milan vence

Diante da Lazio, o Milan conseguiu uma vitória importante, que coloca o time em sétimo lugar no Campeonato Italiano. São 34 pontos, três abaixo da Sampdoria, sexto colocado. Portanto, motivos para comemorar, certo? Em tese, sim. Ainda mais por ser a quarta vitória em cinco jogos, que coloca o time de novo entre os primeiros colocados e já na disputa por uma vaga na Liga Europa.

O técnico entende que alguns jogadores podem ter ficado frustrados por estarem no banco ou não jogarem. Gattuso, de 40 anos, achou que esta era uma boa forma de tratar os jogadores. “Eu apenas queria fazer o meu elenco feliz”, afirmou Gattuso após o jogo. “Especialmente os jogadores que estão bravos comigo porque estão no banco, então agora eles têm uma chance de me dar um tapa”.

Realmente, um método absolutamente diferente. Pouco ortodoxo seria até pouco para isso. Pode ser bastante discutível, embora, bem, por enquanto esteja funcionando. Quando Gattuso foi escolhido como técnico do Milan depois da demissão de Vincenzo Montella, escrevemos por aqui que não sabíamos como ele se sairia como técnico, mas que o futebol italiano ganhava um grande personagem. E assim tem sido.