Poucos jogadores foram tão explosivos quanto Gennaro Gattuso. O volante parecia dar a vida por cada lance, por cada desarme – e, por vezes, não se inibia em abrir a caixa de ferramentas. Campeão do mundo em 2006 e duas vezes da Liga dos Campeões, foi assim que Rino fez sua fama com o Milan e com a Azzurra. Agora, acusado de manipulação de resultados, o veterano demonstra o mesmo ímpeto para defender a própria honra.

Segundo o promotor de Cremona, Gattuso é suspeito de ter ligações com um círculo de pessoas que combinou resultados na reta final da Serie A 2010/11. Quatro foram presos nesta segunda. Apesar do suposto envolvimento, Rino não foi indiciado. Ainda assim, deu fortes declarações para negar qualquer participação no crime, ameaçando até o suicídio em caso de culpa.

“Eu gostaria de esclarecer algo: em minha vida, eu nunca me juntei a ninguém para manipular jogos, ou mesmo pensei nisso, assim como nem saberia mesmo por onde começar. Estou preparado a ir até a praça da cidade e me matar na frente de todos, se eu for declarado culpado por um crime desses. Depois de tudo, minha vida ficaria sem sentido. Eu não teria coragem de olhar ninguém nem nos olhos. Digo isso de coração”, declarou o volante, em entrevista ao Sport Mediaset.

“Eu nem jogo pelada com meus amigos, porque não suporto perder. Os registros telefônicos mostram que Bazzani me mandou 13 mensagens. Eles, portanto, também irão mostrar que nunca respondi nenhuma delas. Esse homem conhece metade da Serie A, chegou a Milanello como centenas de outros. Manipulação de jogos não é parte de mim. Eu fiz algumas apostas quando ainda podia, mas, assim que me profissionalizei, parei. Sem problemas”, seguiu.

Por fim, mais um apelo emocional de Gattuso: “Eu também tinha sido ligado a esse caso há dois anos. Sou plenamente consciente da minha inocência. Passei a carreira inteira trabalhando duro. Eu tenho uma fundação que me permitiu dar € 1,5 milhão para ajudar crianças. E agora as pessoas sugerem que eu manipulei jogos? Não faz nenhum sentido”.

Há ainda muito o que rolar sobre essa história. Mas, depois de um depoimento tão forte, Gattuso já pode ficar consciente que nem precisa de advogado para se defender.