O favoritismo estava ao lado do Chelsea na semifinal da Copa da Inglaterra. Mas contra um Southampton que jogava sua honra em Wembley, a tarde não seria fácil ao time de Antonio Conte. Ao final, prevaleceu a qualidade de quem conhece a competição como poucos: Olivier Giroud, decisivo rotineiramente pelo Arsenal, e que leva seu poder de fogo ao outro lado de Londres. Com um gol espetacular, o centroavante inaugurou o placar na vitória por 2 a 0, que teve momentos de dificuldade, mas valeu um lugar na decisão. Em meio à frustração dos últimos meses, os Blues farão um jogo de peso contra o Manchester United pela taça mais antiga do futebol profissional.

Em um primeiro tempo menos movimentado do que se previa, a atitude era do Chelsea. Os Blues jogavam melhor e buscavam o ataque, principalmente com Eden Hazard e Willian. Mais uma vez, os pontas chamavam a responsabilidade e protagonizavam as melhores chances dos londrinos. O brasileiro poderia até mesmo ter aberto o placar logo aos seis minutos, em bola que acabou esbarrando no travessão. Faltava um pouco mais de incisividade ao time de Antonio Conte, que, ao menos, não sofreu grandes problemas na defesa.

Cobrava-se mais precisão do Chelsea ao segundo tempo. E cumpriu-se a missão logo aos 30 segundos. O primeiro gol aconteceu na saída para a etapa complementar. Eden Hazard dominou lançamento de Cesc Fàbregas e passou para Giroud, que tratou de demolir a defesa do Southampton. Com uma série de dribles curtos, o francês derrubou os marcadores à sua frente e, com o goleiro também caído, escorou às redes vazias. Golaço do centroavante, que já tinha feito uma boa primeira etapa, levando perigo aos Saints – inclusive em belíssima acrobacia que seguiu para fora.

O problema foi que o Chelsea não capitalizou o momento e, quando Mark Hughes deixou o Southampton mais ofensivo, com as entradas de Nathan Redmond e Dusan Tadic, Antonio Conte preferiu se resguardar. Botou Tiemoué Bakayoko na vaga de Willian, que não escondeu sua insatisfação ao sair, seguindo direto aos vestiários. E a postura conservadora do comandante resultou em certa pressão do Southampton.

Willy Caballero fez uma defesa espetacular para evitar o empate, pouco antes de sofrer uma falta em cima da linha, em lance que quase o complicou. Alex McCarthy também salvou os Saints do outro lado, em partida que ficou completamente aberta, lá e cá. O alívio aos londrinos só veio aos 35, quando Álvaro Morata apareceu sozinho para cumprimentar de cabeça e fazer o segundo. Já nos instantes finais, os últimos suspiros ao Soton, que carimbou a trave com Charlie Austin, mas não teria forças para reagir.

O Chelsea vai para sua 13ª final de Copa da Inglaterra. Não conquista o título desde 2012, ficando com o vice na última temporada. E o interesse maior se concentra no embate entre Antonio Conte e José Mourinho. A pressão sobre o italiano é maior, considerando a queda de produção e os recorrentes problemas na atual temporada. Enquanto muitos duvidam de sua permanência em Stamford Bridge, Wembley talvez ofereça a última oportunidade para marcar sua passagem pelos Blues.