Juventus e Milan tiveram a honra de idolatrar tantos craques inesquecíveis. Poucos clubes no mundo possuem uma lista de lendas tão rica quanto às dos clubes italianos. E na véspera do importante confronto pela Serie A neste sábado, vale relembrar um pouco desta história, em um dos momentos mais aflorados da rivalidade. Na primeira metade da década passada, bianconeri e rossoneri dominaram o Calcio. Mais do que isso, decidiram uma Liga dos Campeões, faturada pelos milanistas nos pênaltis. Além disso, os confrontos tiveram lances espetaculares proporcionados pelos grandes protagonistas.

O primeiro vídeo é de um Milan x Juventus de dezembro de 2001. Os dois times tentavam se aproximar das primeiras colocações, em Scudetto que acabou conquistado pela Roma. Ainda assim, o duelo do San Siro contou com uma obra-prima. O lance aconteceu aos 25 do primeiro tempo, graças a Andriy Shevchenko. Depois de fazer fila na defesa juventina, com dois cortes humilhantes, o craque surpreendeu Gianluigi Buffon. De um ângulo pouco usual, emendou um chute magistral para encobrir o camisa 1. No segundo tempo, Alessandro Del Piero buscou a igualdade, fechando o placar em 1 a 1.

A resposta artística da Juventus viria no mesmo San Siro, em maio de 2005. A quatro rodadas do final, a Velha Senhora somava 76 pontos, igual ao Milan, necessitando de um resultado favorável para se distanciar dos rossoneri na liderança. Então quem tirou o coelho da cartola? Ele mesmo, Alessandro Del Piero. O craque chamou Gennaro Gattuso para dançar na ponta esquerda, dando um baile no volante. Quando o juventino foi cruzar, o cão de guarda travou. Mas o gênio está no improviso e Del Piero emendou uma bicicleta, que se transformou em assistência para David Trezeguet. O centroavante aproveitou livre dentro da área e decretou a vitória por 1 a 0. A Juve ficaria com o Scudetto, depois revogado pelo Calciopoli. A jogada fantástica, de qualquer maneira, não se apaga.

Errata: diferentemente do que havia sido publicado originalmente, o gol de Shevchenko aconteceu neste jogo de 2001, e não na vitória milanista por 3 a 1 em 2004. Peço desculpas pelo engano, com a correção já realizada.