A temporada do Athletic Bilbao era repleta de expectativas. Um novo ciclo se iniciava no País Basco, em vários aspectos. O mais evidente era a mudança para o Novo San Mamés, aposentando a velha casa, o estádio mais antigo de La Liga. E também era pelas mudanças profundas no elenco. Depois de campanhas decepcionantes em 2012/13, Marcelo Bielsa ia embora, assim como Fernando Llorente, ídolo dos leones por anos. No entanto, os novos ares e as novas mentes fizeram bem ao Athletic. Um ano depois, o clube se estabiliza como a quarta força da Espanha, praticamente assegurado na Liga dos Campeões.

>>> Mais do que um novo estádio, o Athletic ganhou um alçapão

A vitória deste domingo foi fundamental. O Athletic recebia o Sevilla no San Mamés Barria, aquele típico “jogo de seis pontos”. Se os andaluzes vencessem, igualavam a pontuação dos bascos na tabela, mas os passariam pela vantagem no confronto direto. Os anfitriões nem deram brecha. Dominante durante os 90 minutos, os leones devoraram seus rivais, cansados também pela vida dupla na Liga Europa – e por isso mesmo sem Ivan Rakitic, que só entrou no segundo tempo, poupado do desgaste.

O placar foi aberto logo nos primeiros minutos, com um golaço. Markel Susaeta cobrou escanteio direto e fez olímpico. Iker Muniain e Ander Herrera aumentaram a contagem na segunda etapa, ambos em cruzamentos de Andoni Iraola.  E, apesar da segurança de Gorka Iraizoz, Kevin Gameiro descontou no fim, o que não atrapalhou muito a festa do Athletic. Algo esperado, ainda mais em San Mamés Barria, onde o clube conquistou 42 de seus 65 pontos – e só tem aproveitamento inferior ao dos três primeiros colocados.

Para confirmar a vaga na Liga dos Campeões, o Athletic só precisa vencer um de seus últimos três jogos. Pega o Rayo Vallecano e o Almería fora de casa, além de fazer o primeiro clássico com a Real Sociedad no novo estádio. Oportunidades não faltarão. Quinze anos depois de sua última participação, em 1998/99, os leones têm a chance de voltar ao torneio. Prêmio para o bom trabalho conduzido por Ernesto Valverde, que reformulou a equipe muito bem no início da temporada. Logo em seu segundo ano, San Mamés Barria deverá ter a honra de receber a competição mais nobre da Europa.

Leia também

>>> Diante dos limites, o Athletic faz um ótimo negócio com Beñat

>>> O adeus a San Mamés, um templo do futebol espanhol

>>> Quer espiar? Conheça o San Mamés Barria