Sem empolgar nas duas primeiras rodadas da Libertadores, o River Plate deslanchou somente depois de encarar o Emelec. Após a vitória em Guayaquil, garantida por uma atuação milagreira de Franco Armani, os millonarios voltaram a derrotar os eléctricos nesta quinta-feira, dentro do Monumental de Núñez. E o grande nome da partida foi Pity Martínez. Faz tempo que o meia é o grande diferencial técnico da equipe de Marcelo Gallardo, por sua capacidade na criação e pela habilidade. Pois isso se evidenciou ainda mais nesta noite. O camisa 10 anotou um gol genial, determinando o triunfo por 2 a 1, que deixa os argentinos na liderança do Grupo 4.

Não foi uma boa partida do River Plate, é bom frisar. O primeiro tempo permaneceu morno, com poucas chances de gol, quase todas dos anfitriões. Na melhor delas, Esteban Dreer parou Lucas Pratto. Apenas no segundo tempo é que os millonarios conseguiram marcar a diferença. O primeiro gol saiu aos 21 minutos, em chute forte de Pratto que o arqueiro equatoriano aceitou. Já aos 29, veio a pintura de Martínez. Em um momento no qual os eléctricos tentavam pressionar mais, o River armou o contra-ataque. O camisa 10 recebeu de Pratto, passou pelo marcador e, na risca da grande área, deu um sutil toque por cobertura, humilhando Dreer. O gol de honra do Emelec só sairia nos acréscimos, com Ayrton Preciado.

A vitória deixa o River Plate com oito pontos, dois a mais que o Flamengo. A classificação poderá vir na próxima rodada, quando os millonarios visitam o Independiente Santa Fe em Bogotá. Uma vitória ou um empate bastarão. Caso os argentinos percam, tende a ser necessário bater os rubro-negros no compromisso final, dentro do Monumental. Além disso, um empate ou uma vitória do River na Colômbia também ajuda o Fla, desde que faça sua parte e bata o Emelec no Maracanã. Se a combinação acontecer, argentinos e brasileiros garantem a classificação antecipadamente, decidindo a liderança no confronto direto em Núñez.