Era só um jogo entre dois times de meio da tabela na Tchéquia (antiga República Tcheca) com Bohemians 1905 e Slovacko, que acabou 0 a 0. Só que um fato chamou a atenção. Depois de um choque violento entre o goleiro do Bohemians 1905, Martin Berkovec, e zagueiro do seu time, Daniel Krch, o primeiro teve uma convulsão. Foi quando apareceu o atacante Francis Koné, que agiu rápido e impediu o que poderia ter virado uma tragédia.

LEIA TAMBÉM: Após dar camisas, Henrique entrega cartão de sócio-torcedor a gari fanático pelo Cruzeiro

Koné viu que o goleiro Berkovec estava enrolando a língua. Ele abriu a boca do goleiro e desenrolou a língua do adversário, ajudando o atendimento do goleiro de forma emergencial. Com isso, Koné interveio na convulsão do goleiro, que foi levado ao hospital depois. Ele agradeceu, por Facebook, a atitude de Koné.

O curioso é que esse tipo de procedimento não é uma novidade para Koné. Marfinense de nascimento e togolês por adoção, o jogador já tem experiência com esse tipo de situação. “Foram quatro vezes. Uma vez na Tailândia e duas vezes na África. Eu sempre sempre checando os jogadores, garantindo que eles não engoliram a sua língua”, contou ele aos repórteres na Tchéquia.

Editado às 20h30

O procedimento de tentar desenrolar a língua durante uma convulsão, por mais propagado (erroneamente) que seja, não é o ideal para lidar com uma situação do tipo. O recomendado pelo Ministério da Saúde, sobretudo, se concentra em deixar a pessoa deitada, longe de objetos com os quais possa se machucar e de cabeça virada lateralmente para não engasgar com a própria saliva.

Veja como foi o episódio em vídeo: