Alemanha

Neuer – 7

Nem fez tantas defesas, mas foi muito importante como “líbero” do time. Ele é uma figura tática, e foi acionado na fogueira várias vezes, sempre aparecendo bem.

Mustafi – 4

Atuação muito fraca. Produziu pouco no ataque, e ainda deixou uma autobahn nas suas costas para Soudani aproveitar.

(Khedira – 6)

Ajudou a arredondar a equipe no segundo tempo, sobretudo dando mais volume de jogo no meio de campo.

Mertesacker – 6,5

Tomou muitos sustos no primeiro tempo, quando estava sofrendo com a velocidade dos atacantes argelinos. Mas se estabilizou durante o jogo e acabou sendo uma figura importante.

Boateng – 6

Não foi tão seguro quanto Mertesacker, mas também cresceu a partir do intervalo.

Höwedes – 5,5

Seu lado foi menos exposto que o de Mustafi. Teve um interessante duelo com Feghouli.

Lahm – 5,5

Foi mal como volante no primeiro tempo. A Alemanha não conseguia ter volume de jogo e a defesa estava desprotegida. Melhorou quando caiu para a lateral direita, protegendo o setor melhor que Mustafi.

Schweinsteiger – 6,5

Não foi uma partida brilhante, mas foi importante quando a Alemanha passou a controlar o jogo e a chegar mais no ataque.

(Kramer – sem nota)

Ficou pouco tempo em campo.

Kroos – 5

Muito mal. Participou muito do jogo e até teve números decentes nas estatísticas individuais, mas também é verdade que sumiu em momentos longos da partida.

Özil – 7

Lutou muito, e foi premiado com o gol decisivo no final da prorrogação. Apareceu bem em diversas jogadas, transformando-se no principal articulador da Alemanha.

Götze – 5

Esteve abaixo do nível que o jogo exigiu. Foi premiado com uma ótima oportunidade de gol, mas M’Bolhi apareceu bem. Acabou substituído.

(Schürrle – 6,5)

Entrou muito bem. Deu presença de área à equipe alemã, que conseguiu empurrar mais a Argélia para seu campo.

Müller – 6,5

Foi meio atrapalhado em alguns lances (não é referência ao escorregão na cobrança de falta), mas lutou bastante, criou espaço e ajudou muito os companheiros na frente.

Argélia

M’Bolhi – 8,5

O grande nome da partida. Fez ótimas defesas durante todo o jogo, e não podia ter feito nada nos gols alemães.

Mandi – 5,5

Foi firme na marcação, mas ficou sobrecarregado em alguns momentos por falta de apoio do meio-campo.

Belkalem – 6,5

Muito bem na recuperação para bloquear as finalizações alemãs.

Halliche – 7

Muito seguro e firme, venceu quase todas pelo alto. Além disso, foi um líder do lutador time argelino.

(Bougherra – 6)

Não esteve no mesmo nível de Halliche, mas entrou com o jogo já muito aberto e ficou superexposto.

Ghoulam – 5

Não conseguiu fechar tão bem seu lado, sobretudo quando Özil caía por lá.

Mostefa – 5

Começou bem a partida, mas foi caindo na medida em que a Alemanha passou a dominar o meio-campo.

Lacen – 6,5

Bem na marcação, ajudou a tomar a bola e a iniciar os contra-ataques argelinos.

Taïder – 6,5

Foi bem no primeiro tempo, mas correu muito e acabou cansando no segundo tempo e perdendo espaço.

(Brahimi – 6)

Não foi mal, mas poderia ter ido melhor considerando que estava mais descansado que o resto dos jogadores em campo e pela ótima partida que havia feito contra a Rússia.

Feghouli – 6,5

Lutou muito, confundiu a marcação alemã com sua movimentação, mas não conseguiu ser dominante pelo seu lado como poderia.

Soudani – 7,5

Deitou e rolou pelo lado esquerdo do ataque argelino, sobretudo no primeiro tempo. Jogou sem marcação e acabou sendo o criador de quase todas as jogadas de perigo da Argélia no período.

(Djabou – sem nota)

Fez o gol, mas ficou sem nota. É porque jogou realmente pouco, e o gol foi mais uma circunstâncias de um time alemão que achou que já tinha vencido o jogo.

Slimani – 7

Movimentou-se bastante, trocou de posição com Soudani em alguns momentos, e foi um perigo constante. Poderia ter sido um pouco mais cuidadoso na hora de concluir as jogadas.

Árbitro

Sandro Meira Ricci – 5

Foi um jogo muito corrido e disputado. Foi muito exigido e não tomou a decisão certa em todos os momentos, sobretudo no critério do que era ou não falta.