O fã de futebol ficou um pouco frustrado com a série de documentários esportivos da ESPN, a 30 for 30. Porque de todos os filmes produzidos para comemorar os 30 anos da emissora de televisão, apenas um, que conta a história do traficante Pablo Escobar e do jogador homônimo, morto após a Copa do Mundo de 1994, falava sobre o nosso esporte favorito. E isso está prestes a ser corrigido.

A ESPN anunciou que em abril uma nova temporada da série será lançada especificamente sobre futebol. Serão dois filmes longos, seis curtas de 30 minutos e 10 pequenas histórias sobre o Brasil, já que meses depois o País vai sediar o Mundial de 2014.

E as histórias prometem. Os longas vão falar sobre a Tragédia de Hillsborough, que completa 25 anos, e contar a história de Ossie Ardiles, jogador argentino que atuava pelo Tottenham quando explodiu a Guerra das Malvinas.

Dois dos pequenos documentários serão sobre personagens brasileiros. Mané Garrincha, o craque que terminou a vida de forma melancólica por causa do álcool, e Barbosa, o goleiro da seleção de 1950 que entrou para a história como o culpado por aquele derrota para o Uruguai, na primeira Copa do Mundo que o Brasil sediou.

A ESPN também vai falar do ano de 1986 de Maradona, quando o canhotinho argentino decidiu assumir o protagonismo do futebol mundial e levou a Argentina nas costas ao título do Mundial do México. Ainda sobre Copas, haverá a história da taça Jules Rimet focada no plano nazista de roubá-la durante a Segunda Guerra Mundial e como o italiano Ottorino Barassi, um dos mais importantes dirigentes do começo do século, conseguiu proteger o troféu.

Misturando futebol e política, haverá um filme sobre a ditadura chilena comandada por Augusto Pinochet, o estádio Nacional de Santiago, que era usado para prender e torturar presos e a classificação da seleção para a Copa de 1974, com um gol contra um adversário que não esteve sequer em campo. Na mesma linha, a emissora vai mostrar o assassinato de seis pessoas assistindo à estreia da República da Irlanda na Copa do Mundo de 1994 em um pub, a cerca de 40 quilômetros de Belfast, na Irlanda do Norte, enquanto a torcida comemorava a vitória por 1 a 0 sobre a Itália, em Nova Jersey.

Por fim, haverá dez pequenas histórias sobre o Brasil, envolvendo a geografia rica do País, seu histórico de ditadura militar, as praias, as favelas, a escravidão, música e dança, uma forma de tentar entender “por que o futebol brasileiro é realmente a expressão da alma do seu povo”. Não sei vocês, mas eu vou começar a estocar pipoca imediatamente.