Steven Naismith não é dos maiores craques do Everton ou um dos mais adorados pelos torcedores, mas deu um grande passo rumo a isso, e de maneira que pareceu bastante sincera. O escocês sempre foi bastante discreto, o que reforça a ideia de espontaneidade em seu belíssimo gesto de entregar ingressos a torcedores dos Toffees desempregados. Isso mesmo. A pouco mais de dez dias do início da nova temporada da Premier League, o atleta providenciou quatro season tickets (ingressos válidos para todos os jogos de uma temporada) para o centro de apoio ao trabalhador de Liverpool, que deverá, durante todo o Campeonato Inglês, distribuir as entradas para torcedores que enfrentam dificuldades em voltar ao mercado de trabalho.

VEJA TAMBÉM: Drenthe é tão gente boa que levou torcedores do Reading para um torneio de Fifa em sua casa

Naismith explicou que, vindo da Escócia, presenciou em seu próprio país muitos problemas relacionados ao desemprego. Portanto, quis ajudar as pessoas que passam pela mesma situação em Liverpool, sabendo que o “presente” não resolverá suas situações, mas pelo menos podendo proporcionar aos torcedores que não possam pagar as entradas um pouco de lazer, em meio a um momento difícil. “Venho de Ayrshire, na Escócia, e passei muito tempo da minha vida em Glasgow, uma cidade que, às vezes, sofreu com alto desemprego. Liverpool tem uma história parecida, e estou ciente disso. Sem culpa alguma, muitos estão desempregados em Liverpool e tentando muito encontrar um emprego, não podendo pagar por um ingresso”, explicou.

Para que os ingressos caiam nas mãos de pessoas que realmente desfrutarão do agrado, o jogador do Everton criou algumas condições ao entregar as entradas para os centros de apoio: têm que ser destinados a pessoas que já estão há um certo tempo buscando um emprego, mas tendo dificuldades, e que sejam realmente torcedores dos Toffees: “Pedi aos centros de apoio ao trabalhador que dessem os ingressos em diferentes centros pela cidade, cada semana, e que selecionassem pessoas que estão desempregadas sem ter culpa disso e que estejam tentando encontrar um emprego. Pessoas que gostariam de ver uma partida de futebol da Premier League”.

O jogador sabe bem que o gesto não mudará completamente a vida dos beneficiados ou algo do tipo, mas acha importante que os desempregados possam aproveitar um dia de lazer. O escocês mostrou ter os pés no chão ao demonstrar gratidão pelas coisas que conquistou e entende que retribuir um pouco da sorte que teve é algo justo.

“Pensei que isso poderia ser um pequeno gesto para ajudar quem está nessa situação a aproveitar um dia em uma de nossas partidas na liga. Espero que possa trazer prazer para muitas pessoas. Todos os dias me sinto muito sortudo pelas oportunidades e pelo estilo de vida que meu emprego como jogador proporcionou a mim e à minha família. (Sinto-me sortudo) Também por estar em uma posição em que possa ajudar a comunidade de alguma pequena maneira.”

Nesses tempos de cada vez menos contato entre torcedores e seus ídolos ou jogadores de seu clube, é legal ver uma atitude do tipo partir de um atleta de uma equipe de uma das mais relevantes e badaladas competições do mundo. Seria bom se essa situação fosse de alguma forma a regra, e não a exceção. Não é a primeira vez que o jogador do Everton se engaja em torno de algo maior. Em seu país-natal, lançou um projeto de assistência médica a militares que se feriram em conflitos, além de apoiar uma instituição de caridade em Liverpool e ser embaixador para uma campanha escocesa sobre dislexia. Naismith é daquelas exceções que fazem muito bem o papel de estabelecer um bom exemplo para atitudes futuras.