A seleção peruana não poderia viver dias melhores. Primeiro, aconteceu a suspensão da pena a Paolo Guerrero, que finalmente garantiu a participação do artilheiro na Copa do Mundo. Já neste domingo, em seu penúltimo amistoso antes do Mundial, a Albirroja conquistou uma vitória contundente. Tudo bem, a Arábia Saudita não é lá parâmetro para muita coisa. Ainda assim, o time de Ricardo Gareca conseguiu se impor com sobras: triunfo por 3 a 0, que contou com dois gols do camisa 9, mostrando que continua como a grande referência aos companheiros.

Antes que a bola rolasse em St. Gallen, o destaque esteve nas arquibancadas. O Peru já havia se despedido de sua torcida, com a vitória sobre Escócia em Lima. No entanto, uma massa de peruanos se reuniu na Suíça, entre aqueles que moram na Europa e os que acompanharão a seleção rumo à Rússia. Com quase 20 mil abarrotando o estádio, cantaram o hino nacional a plenos pulmões. Enfatiza a comoção ao redor da campanha.

Gareca entrou em campo com Guerrero encabeçando o ataque, municiado pelo trio formado por André Carrillo, Christian Cueva e Edison Flores. Jefferson Farfán, herói da classificação na repescagem, começou no banco de reservas. E os peruanos construíram o triunfo desde o primeiro tempo. O primeiro gol saiu aos 20 minutos, em um lance brigado. André Carrillo aproveitou a sobra e, depois de matar no peito, acertou um chutaço da entrada da área. Guerrero ampliou aos 41, sem perdoar um rebote do goleiro Abdullah Al Maiouf. Já no segundo tempo, o camisa 9 voltou a mostrar seu oportunismo. Carrillo cruzou e ele cabeceou com liberdade. Saiu aos 20 minutos, dando lugar justamente a Farfán.

A seleção saudita acaba sendo um teste menos válido do que outros enfrentados pelo Peru neste ano. De qualquer forma, a vitória serve para aumentar a confiança do time de Ricardo Gareca. O momento é favorável, considerando todos os elementos. Inclusive, a massa que deve apoiar a Albirroja na Rússia, sedenta pela Copa após 36 anos de espera. A mostra deste domingo foi inegável. É ver como será no último compromisso antes do Mundial, contra a Suécia, em Gotemburgo.