Os americanos fãs de futebol estão empolgados e têm todos os motivos para ficar, já que a Major League Soccer espera que 2014 seja um ano muito importante para a continuidade da consolidação da liga.

Além da criação de três novas franquias – Nova York, Orlando e Miami –, a MLS conseguiu repatriar mais dois jogadores importantes para a seleção em Michael Bradley e Maurice Edu. Para fechar, nomes interessantes como Júlio César e Jermaine Defoe resolveram abrilhantar o campeonato.

Confira o que esperar das 19 equipes da MLS em 2014:

Chicago Fire

Técnico: Frank Yallop
Temporada passada: 6º no Leste
Destaque: Mike Magee
Concachampions: Não participou
Fique de olho: Harrison Shipp
Objetivo: Playoffs
Principais chegadas: Patrick Ianni (d, Sounders), Lovel Palmer (d, RSL), Jhon Kennedy Hurtado (d, Sounders)
Principais saídas: Joel Lindpere (m, dispensado), Maicon Santos (a, dispensado), Jalil Anibaba (d, Sounders)

A grande chave para o sucesso do Fire nesta temporada será como o veterano Jeff Larentowicz responderá ao fato de que será o único jogador realmente defensivo, já que a equipe deve atuar em um 4-1-4-1 e o ex-Rapids não tem a mesma força de alguns anos atrás. Outra grande questão é o atacante principal, já que o meia Mike Magee marcou quase metade dos gols da equipe em 2013. Pode ser até que Harrison Shipp, que ajudou Notre Dame a conquistar o título universitário no último ano, tome o lugar como meia ofensivo e faça com que Magee seja o principal atacante.

Chivas USA

Técnico: Wilmer Cabrera
Temporada passada: 9º no Oeste
Destaque: Mauro Rosales
Concachampions: Não participou
Fique de olho: Eric Avila
Objetivo: Não fazer feio
Principais chegadas: Bofo Bautista (a, livre), Luke Moore (a, livre), Mauro Rosales (m, Sounders)
Principais saídas: Tristan Bowen (a, Sounders), Gabriel Farfan (m, Chiapas), Marvin Iraheta (m, dispensado)

Grandes mudanças em Los Angeles. Fora de campo, a liga assumiu o controle do clube e deve o repassar a algum investidor em breve. Dentro, a chegada de Mauro Rosales deve ajudar a inspirar um ataque que não foi nada efetivo na última temporada. E ele terá uma boa ajuda dentro da área, já que a franquia buscou Bofo Bautista (sim, aquele) e Luke Moore, que começou sua carreira de forma sólida no Aston Villa e ajudou o Swansea na conquista da Copa da Liga em 2012/13. Outra área que precisa ser melhorada é a zaga, já que a equipe foi a que mais sofreu gols na última temporada. Os Rojiblancos esperam que a mistura entre a experiência de Carlos Bocanegra e a juventude do recém-chegado Andrew Jean-Baptiste resolva os problemas.

Colorado Rapids

Técnico: Pablo Mastroeni
Temporada passada: Wildcard do Oeste
Destaque: Clint Irwin
Concachampions: Não participou
Fique de olho: Nathan Sturgis
Objetivo: Playoffs
Principais chegadas: Marvin Chávez (m, Earthquakes), Marc Burch (d, livre), José Mari (m, livre)
Principais saídas: Atiba Harris (m, Earthquakes), Jamie Smith (m, aposentadoria), Hendry Thomas (m, FC Dallas)

Os Rapids apostam na juventude para chegar aos playoffs, assim como foi na última temporada. Dillon Powers teve um ótimo 2013 e foi eleito o melhor novato da liga, Deshorn Brown causou muito impacto com sua velocidade pelo lado esquerdo, e Clint Irwin foi um dos principais goleiros da MLS em seu primeiro ano. O grande problema para a franquia de Denver é conseguir um substituto eficiente para Hendry Thomas, o cão de guarda que foi para o Dynamo. O espanhol José Mari chegou para ocupar o espaço, mas não é tão destrutivo  quanto o hondurenho, apesar de ter um passe melhor.

Columbus Crew

Técnico: Gregg Berhalter
Temporada passada: 8º no Leste
Destaque: Federico Higuain
Concachampions: Não participou
Fique de olho: Justin Meram
Objetivo: Playoffs
Principais chegadas: Michael Parkhurst (d, Augsburg), Hector Jimenez (m, Galaxy), Giancarlo Gonzalez (d, Valerenga)
Principais saídas: Chad Marshall (d, Sounders), Andy Gruenebaum (g, Sporting KC), Eddie Gaven (m, aposentadoria)

A missão do novo técnico Gregg Berhalter é complicada. Para aproveitar o máximo de Federico Higuaín, irmão de Gonzalo e líder da liga em chances criadas em 2013, ele tem que levar mais jogadores ao ataque, só que não pode colocar o argentino muito recuado para começar a criação porque perderia na defesa. Algo bastante preocupante é como a equipe defenderá situações de bolas paradas, já que nenhum dos atletas é suficientemente alto e as franquias da Conferência Leste costumam aproveitar isso bastante.

D.C. United

Técnico: Ben Olsen
Temporada passada: 10º no Leste (campeão da US Open Cup)
Destaque: Eddie Johnson
Concachampions: Não participou
Fique de olho: Nick DeLeon
Objetivo: Não fazer feio
Principais chegadas: Davy Arnaud (m, Impact), Eddie Johnson (a, Sounders), Sean Franklin (d, Galaxy)
Principais saídas: Dwayne DeRosario (m, dispensado), Carlos Ruiz (a, dispensado), James Riley (d, dispensado)

O D.C. United fez um papel ridículo na última temporada ao conseguir os recordes de menos vitórias (três) e mais derrotas após a abolição dos pênaltis (24). A equipe adicionou veteranos em todos os setores do campo, algo que será muito importante principalmente na defesa. Jeff Parke e Bobby Boswell devem formar uma dupla de zaga bem mais eficiente do que a última e Sean Franklin é uma ótima adição na lateral direita. Além disso, o ataque também deve melhorar com a chegada de Eddie Johnson, convocado regularmente para a seleção americana.

FC Dallas

Técnico: Óscar Pareja
Temporada passada: 8º no Oeste
Destaque: Blas Pérez
Concachampions: Não participou
Fique de olho: Matt Hedges
Objetivo: Playoffs
Principais chegadas: Adam Moffat (m, Sounders), Andrés Escobar (a, Dinamo Kiev), Hendry Thomas (m, Rapids)
Principais saídas: Kenny Cooper (a, Sounders), Jackson (m, Toronto FC), David Ferreira (m, dispensado)

O grande desafio da franquia de Dallas é transformar o talento que a equipe tem no papel em sucesso dentro de campo. A dupla de zaga com Hedges e John é sólida, Hendry Thomas é um ótimo desarmador e Adam Moffat e Mauro Díaz distribuem muito bem a bola. No ataque, Fabian Castillo terá que mostrar mais do que 2013 e ele certamente tem potencial para crescer ainda mais. E o artilheiro Blas Pérez desfalcará a equipe menos nesta temporada porque tem menos compromissos com o Panamá, então este setor já deve melhorar.

Houston Dynamo

Técnico: Dominic Kinnear
Temporada passada: Final do Leste
Destaque: Brad Davis
Concachampions: Fase de grupos
Fique de olho: Boniek García
Objetivo: Título
Principais chegadas: David Horst (d, Timbers), A.J. Cochran (d, draft), Tony Cascio (m, Rapids)
Principais saídas: Brian Ching (a, aposentadoria), Bobby Boswell (d, dispensado), Cam Weaver (a, dispensado)

A grande força do Dynamo está nos lados do campo. Kofie Sarkodie e Corey Ashe são dois laterais rápidos, que apoiam muito bem e fazem um trabalho defensivo razoável. Mas a mágica acontece um pouco mais a frente. Boniek García é um dos jogadores mais dinâmicos da liga seja aberto pela direita ou cortando pelo meio para achar mais espaço. Na esquerda, Brad Davis faz um incrível trabalho como playmaker e normalmente dita o ritmo da equipe. Se o atacante Will Bruin voltar à forma de 2012, o Dynamo é um sério candidato ao título.

Los Angeles Galaxy

Técnico: Bruce Arena
Temporada passada: Semifinal do Oeste
Destaque: Landon Donovan
Concachampions: Está nas Quartas
Fique de olho: Samuel
Objetivo: Título
Principais chegadas: Samuel (a, Fluminense), Rob Friend (a, livre), Stefan Ishizaki (m, Elfsborg)
Principais saídas: Carlo Cudicini (g, dispensado), Sean Franklin (d, dispensado) e Jose Villarreal (a, Cruz Azul)

Samuel e Rob Friend podem se tornar aquisições extremamente importantes para o Galaxy, já que o grande problema da equipe no último ano foi achar um companheiro para Robbie Keane no ataque que pudesse produzir bons números. Além disso, o time de Los Angeles sofreu bastante com os erros de Carlo Cudicini debaixo das traves e deve ter mais sucesso com Jaime Penedo, que teve boas atuações quando assumiu o cargo de titular.

Montréal Impact

Técnico: Frank Klopas
Temporada passada: Wildcard do Leste (Campeão Canadense)
Destaque: Marco Di Vaio
Concachampions: Fase de grupos
Fique de olho: Felipe
Objetivo: Playoffs
Principais chegadas: Eric Miller (d, draft), Santiago González (a, Sud América)
Principais saídas: Alessandro Nesta (d, aposentadoria), Davy Arnaud (m, DC United), Zarek Valentin (d, Bodo/Glimt)

Marco Di Vaio foi incrível em 2013. Mas o Impact não pode contar apenas com os gols do veterano, já que ele completa 38 anos em 2014 e deve declinar em breve. Algum dos jogadores da linha de três atrás do italiano terá que ajudar, responsabilidade que deve cair sobre o brasileiro Felipe ou o uruguaio Santiago González, que chega ao clube canadense após disputar algumas partidas pelas categorias de base da seleção.

New England Revolution

Técnico: Jay Heaps
Temporada passada: Semifinal do Leste
Destaque: Diego Fagundez
Concachampions: Não participou
Fique de olho: Kelyn Rowe
Objetivo: Playoffs
Principais chegadas: Charlie Davies (a, Randers), Brad Knighton (g, Whitecaps), Teal Bunbury (a, Sporting KC)
Principais saídas: Matt Reis (g, aposentadoria), Juan Agudelo (a, Stoke City), Ryan Guy (m, dispensado)

Os Revs perderam Juan Agudelo, a principal peça da campanha que levou a equipe aos playoffs em 2013. Mas adicionaram Teal Bunbury, que perdeu espaço em Kansas City e pode se tornar um ótimo jogador para o time de Massachusetts, principalmente finalizando. E ele terá chances, já que o trio de Kelyn Rowe, Lee Nguyen e Diego Fagundez cria bastante. O último merece muito destaque, já que marcou 13 gols e deu 7 assistências em 2013, sua primeira temporada na liga.

New York Red Bulls

Técnico: Mike Petke
Temporada passada: Semifinal do Leste
Destaque: Thierry Henry
Concachampions: Não participou
Fique de olho: Connor Lade
Objetivo: Playoffs
Principais chegadas: Bobby Convey (m, Toronto FC), Armando (d, livre), Richard Eckersley (d, Toronto FC)
Principais saídas: Fabian Espindola (a, dispensado), Heath Pearce (d, dispensado), Markus Holgersson (d, dispensado)

A defesa dos Red Bulls em 2013 engana um pouco por causa dos 41 gols cedidos, uma marca não tão alta, mas os adversários tiveram muitas chances de marcar. A saída de Holgersson pode ajudar no fato de que um zagueiro melhor deve entrar no lugar do sueco e trazer mais solidez à defesa do clube. No ataque, a responsabilidade de gols continuará com Tim Cahill e Thierry Henry, algo que não é muito ruim para uma equipe da MLS.

Philadelphia Union

Técnico: John Hackworth
Temporada passada: 7º no Leste
Destaque: Maurice Edu
Concachampions: Não participou
Fique de olho: Jack McInerney
Objetivo: Melhorar
Principais chegadas: Maurice Edu (m, Stoke City), Andre Blake (g, draft), Cristian Maidana (m, livre)
Principais saídas: Michael Farfan (m, Cruz Azul), Jeff Parke (d, DC United), Kléberson (m, dispensado)

John Hackworth enfim teve espaço para montar sua equipe, já que os contratos da era maligna do Union expiraram após a última temporada. E ele tentará jogar em um 4-3-3 muito parecido com o do Sporting Kansas City, que basicamente revolucionou a liga nas questões de dominação por passes e marcação avançada. Maurice Edu foi uma adição imprescindível para este novo esquema, já que ele será o box-to-box, como gostam de chamar os ingleses. Sempre jogará os 90 minutos e indo de uma área até a outra para ajudar os setores extremos.

Portland Timbers

Técnico: Caleb Porter
Temporada passada: Final do Oeste
Destaque: Will Johnson
Concachampions: Não participou
Fique de olho: Darlington Nagbe
Objetivo: Playoffs
Principais chegadas: Steve Zakuani (m, livre), Gastón Fernández (a, Estudiantes), Norberto Paparatto (d, Tigre)
Principais saídas: Sal Zizzo (m, Sporting KC), Mikael Silvestre (d, dispensado), David Horst (d, FC Dallas)

Caleb Porter quer mostrar que o sucesso de 2013 não foi sorte. E ele tem peças para isso. A equipe mantém o mesmo bom meio de campo da última temporada, com Will Johnson, Darlington Nagbe e Diego Valeri. E o time ainda acrescentou Gaston Fernandez, ex-Estudiantes, para dar mais peso a este grupo de criação. O grande problema está no ataque, já que Ryan Johnson – principal goleador da equipe – não foi substituído de forma satisfatória e isso deve causar alguns problemas pelo menos no início da nova temporada.

Real Salt Lake

Técnico: Jeff Casar
Temporada passada: Vice-campeão
Destaque: Javier Morales
Concachampions: Não participou
Fique de olho: Sebastian Velasquez
Objetivo: Título
Principais chegadas: Luke Mulholland (m, livre), Jordan Allen (m, RSL-Arizona), Ryan Neil (d, draft)
Principais saídas: Khari Stephenson (m, dispensado), Lovel Palmer (d, Fire), Josh Saunders (g, dispensado)

A grande pergunta da franquia é: existe vida sem Jason Kreis? Tido como um dos melhores técnicos da liga, o ex-atacante deixou a equipe de Utah para se juntar ao New York FC, que entrará na MLS em 2015. Jeff Casar, que era assistente de Kreis, será o novo comandante do time e parece que não mudará muito, até porque não se mexe no que está dando certo. Os Royals contarão com o mesmo grupo das últimas temporadas e isto deve continuar sendo uma grande força.

San Jose Earthquakes

Técnico: Mark Watson
Temporada passada: 6º no Oeste
Destaque: Chris Wondolowski
Concachampions: Está nas Quartas
Fique de olho: Adam Jahn
Objetivo: Playoffs
Principais chegadas: Atiba Harris (m, Rapids), Jean-Baptiste Pierazzi (m, livre), Billy Schuler (a, livre)
Principais saídas: Ramiro Corrales (m, aposentadoria), Steven Beitashour (d, Whitecaps), Rafael Baca (d, Cruz Azul)

Em 2014, os Earthquakes precisam fazer um trabalho melhor na parte central do meio de campo. Enquanto a equipe foi muito bem neste quesito quando conquistou o Supporters’ Shield em 2012, a área desapontou em 2013 e o time de San José nem chegou aos playoffs. Sam Cronin e o recém-chegado Jean-Baptiste Pierazzi terão o trabalho de matar jogadas, vencer as segundas bolas e colocá-las nos pés dos meias abertos. E eles procurarão Chris Wondolowski, um dos goleadores natos da MLS.

Seattle Sounders

Técnico: Sigi Schmid
Temporada passada: Semifinal do Oeste
Destaque: Clint Dempsey
Concachampions: Não participou
Fique de olho: DeAndre Yedlin
Objetivo: Título
Principais chegadas: Stefan Frei (g, Toronto FC), Kenny Cooper (a, FC Dallas), Marco Pappa (m, alocação)
Principais saídas: Michael Gspurning (g, dispensado), Mauro Rosales (m, Chivas USA), Eddie Johnson (a, DC United)

Após grandes investimentos e nenhum resultado dentro da MLS, os Sounders resolveram remontar a equipe com um único objetivo: o título. A franquia já conta com Clint Dempsey, o principal jogador americano da atualidade, e trouxe o meia guatemalteco Marco Pappa para ajudar na criação para Obafemi Martins e Kenny Cooper, dois atacantes da alto nível para o campeonato. A zaga deve melhorar com a chegada de Chad Marshall, um dos melhores da posição na história da MLS, e o suíço Stefan Frei é uma boa adição debaixo das metas.

Sporting KC

Técnico: Peter Vermes
Temporada passada: Campeão
Destaque: Graham Zusi
Concachampions: Está nas Quartas
Fique de olho: Dom Dwyer
Objetivo: Título
Principais chegadas: Sal Zizzo (m, Timbers), Andy Gruenebaum (g, Crew)
Principais saídas: Jimmy Nielsen (g, aposentadoria), Teal Bunbury (a, Revolution), Kyle Miller (d, dispensado)

O atual campeão começará uma nova era após a aposentadoria do goleiro Jimmy Nielsen, capitão e um dos jogadores mais influentes da equipe. Vindo do Crew, Andy Gruenebaum deve ser o substituto do dinamarquês e terá seu trabalho facilitado pela ótima dupla de zaga, Aurélien Collin e o novo capitão Matt Besler. O SKC tem uma profundidade muito grande dentro de seu elenco, principalmente do meio para frente e isso será fundamental para que a franquia lute pelo bicampeonato. Olho em Dom Dwyer e Soony Saad, dois atacantes jovens e dinâmicos.

Toronto FC

Técnico: Ryan Nelsen
Temporada passada: 9º no Leste
Destaque: Michael Bradley
Concachampions: Não participou
Fique de olho: Jackson
Objetivo: Playoffs
Principais chegadas: Júlio César (g, QPR), Jermaine Defoe (a, Tottenham), Michael Bradley (m, Roma)
Principais saídas: Stefan Frei (g, Sounders), Bobby Convey (m, Red Bulls), Justin Braun (a, dispensado)

Os Reds perderam sua hegemonia no Campeonato Canadense em 2013 e viram seus dois compatriotas chegando aos playoffs nas últimas duas temporadas, então era hora de mudar e realmente investir. A equipe buscou Michael Bradley e Jermaine Defoe para dar excelentes opções ao técnico Ryan Nelsen e virou a casa de Júlio César, que busca ritmo de jogo para ser o goleiro titular da seleção brasileira na Copa do Mundo. Assim como na seleção americana, o meia ex-Roma será o termômetro da equipe e deve ditar o ritmo de jogo, além de contribuir no trabalho sujo.

Vancouver Whitecaps

Técnico: Carl Robinson
Temporada passada: 7º no Oeste
Destaque: Russell Teibert
Concachampions: Não participou
Fique de olho: Kekuta Manneh
Objetivo: Playoffs
Principais chegadas: Steven Beitashour (d, Earthquakes), Sebastián Fernández (m, Boston River), Matías Laba (m, Toronto FC)
Principais saídas: Camilo (a, Querétaro), Lee Young-Pyo (d, aposentadoria), Jun Marques Davidson (m, dispensado)

Os Whitecaps buscaram Steven Beitashour, lateral que deve resolver um problema que a equipe tinha recentemente: ela sempre parecia muito defensiva. O ex-Quakes aprecerá bastante no ataque e cruza muito bem com os dois pés, tanto que é o defensor que mais deu assistências nas últimas três temporadas da liga. Além disso, a chegada de Matías Laba colocará Russell Teibert mais a frente, onde o time de Vancouver poderá aproveitar mais o talento criativo do canadense que foi o termômetro da equipe em 2013 – quando ele jogou bem, os Caps foram bem.