Garoto segura figurinhas em encontro de trocas no Rio de Janeiro (Fernando Frazao/Agência Brasil)

Guia Trivela para quem vai a encontro de troca de figurinhas

A Copa do Mundo já está chegando, e começa a pintar aquele aperto. Afinal, o álbum de figurinhas do torneio ainda tem alguns quadradinhos não preenchidos, e parece haver uma corrida contra o relógio para completá-lo antes de 12 de junho. O problema é que, a essa altura do campeonato, já devem faltar poucos números e não vale a pena gastar muito dinheiro com pacotinhos. Para piorar, os mais afobados e perdulários já completaram a coleção, e há menos gente com quem trocar.

LEIA MAIS: Eles entraram no álbum de figurinhas, mas não foram à Copa do Mundo

A grande saída é ir a encontro de colecionadores. Há por toda a parte: praças, livrarias, shoppings, pontos de referência na cidade. São dezenas de pessoas com muita figurinha na mão só trocando. E, em umas horas produtivas, é bem possível que qualquer coleção avance significativamente.

Se você está entre os que já reservou uma parte de seu fim de semana para ir a uma dessas reuniões, a Trivela preparou um miniguia para ajudá-lo a ter mais sucesso na empreitada e também para evitar algumas gafes.

Tenha um bolinho decente de repetidas
Senhor mostra seu bolo de figurinhas repetidas  (Fernando Frazao/Agência Brasil)

Senhor mostra seu bolo de figurinhas repetidas (Fernando Frazao/Agência Brasil)

São dezenas de pessoas, e uma resolve abordar a outra para fazer uma troca. Cada um verifica as repetidas do outro e a troca ocorre. Mas visualize isso como uma negociação. Se você vai procurar alguém para negociar, preferirá quem lhe oferecer mais chances de conseguir muitas figurinhas novas, certo?

Não precisa ser um gênio da matemática para perceber que montinhos grandes de repetidas dão mais possibilidade de você encontrar as que precisa. Ou seja, se você aparece com um montinho mequetrefe, menos gente terá vontade de abordá-lo para uma troca.

Claro, não é o caso de gastar uma fortuna só para inchar seu bolinho de repetidas, mas dar uma bombada nele gastando uns R$ 10 em pacotinhos pode ser suficiente para deixar seu montinho dentro da média.

Organize suas repetidas
Colecionadores trocam figurinha em encontro no Rio de Janeiro (Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

Colecionadores trocam figurinha em encontro no Rio de Janeiro (Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

Seja camarada com os outros. É extremamente irritante e improdutivo caçar as figurinhas que você precisa em um bolinho todo bagunçado. Qualquer que seja o método de uma pessoa controlar sua coleção (com tabelinha de números, usando o aplicativo de celular, carregando o álbum, decorar os jogadores), ele passa pela ordem em que as figurinhas estão dentro do álbum. Ter em mãos um montinho de repetidas organizado é fundamental para ganhar tempo e não deixar passar nada.

No final das contas, ninguém vai deixar de trocar com você por causa de uma eventual desorganização das repetidas, mas faça esse favor ao sujeito. No mínimo, coloque as figurinhas em ordem por seleção. E, se durante o vaivém das trocas alguma coisa sair da ordem, peça desculpas pela bagunça.

Identifique rapidamente quais faltam a você
Colecionador verifica que figurinhas ainda faltam para completar o álbum (Fernando Frazao/Agência Brasil)

Colecionador verifica que figurinhas ainda faltam para completar o álbum (Fernando Frazao/Agência Brasil)

Parece básico, mas há muita gente que patina nisso. Tenha fácil em mãos quais faltam a você para fazer uma verificação rápida. E, se faltarem poucas, não se prenda apenas aos números. Tente decorar as seleções que já estão completas e, nas que faltarem um ou outro jogador, procure saber qual é. Identificá-lo pelo nome ou pela foto é mais rápido do que pelo número.

Seja solidário
Colecionadores de figurinhas em encontro no Rio de Janeiro (Fernando Frazao/Agência Brasil)

Colecionadores de figurinhas em encontro no Rio de Janeiro (Fernando Frazao/Agência Brasil)

Ninguém está apostando corrida com ninguém. São dezenas de pessoas se reunindo para que todos se ajudem a completar o álbum. Então, se uma pessoa pegou 20 figurinhas suas e você separou apenas dez dela, pegue outras dez em repetidas aleatórias para renovar o seu bolinho e ajudar o sujeito. Essa regra só não vale se a troca envolver uma criança (veja abaixo o porquê).

Além disso, se souber que alguém lá no encontro precisa de uma determinada figurinha e você está trocando com uma pessoa que tem esse número repetido, avise ambos.

Seja camarada com as crianças
Garota mostra a figurinha de Neymar (Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

Garota mostra a figurinha de Neymar (Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

Faltam apenas 30 para você, e um garoto de 8 anos o aborda para trocar. Aí, você separa umas 3 figurinhas dele, e ele separa umas 15 suas. Não seja mesquinho e deixe o garoto levar as 12 que excederam. Se quiser parecer legal, pode até dizer que é um presente seu para ele.

Você é um marmanjo, que pode usar o seu próprio dinheiro para comprar quantas figurinhas quiser, enquanto que o menino precisa separar a verba do lanche da escola para comprar figurinha. Forçar a troca um por um é crueldade. Pegar o excedente em repetidas dele não é muito melhor, pois muitas vezes a criança tem um bolinho de repetidas mais enxuto.

Então, ficar de preciosismo vai fazer o garoto achar que você é um tio muito feio, bobo e chato. Não precisa, né?

Tenha paciência
Encontro de colecionadores para trocar figurinha da Copa do Mundo (Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

Encontro de colecionadores para trocar figurinha da Copa do Mundo (Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

Não ache que em três trocas você vai conseguir as 30 ou 50 que faltam. É preciso ficar um tempo nesses encontros, mais de 1h30 certamente. Rode no grupo, troque com todo mundo, veja quem acabou de chegar e ainda não trocou com ninguém (mais chance de sucesso, pois as repetidas dessa pessoa ainda não foram atacadas pelos outros).