Nesta quarta, a Europa conhecerá os últimos três países classificados diretamente para a Copa. Além disso, serão definidas as seis seleções que tentarão a sorte na repescagem. A briga principal envolve França e Espanha.

Os franceses recebem o Chipre com um olho na partida entre Irlanda (16) e Suíça (17). Em terceiro no grupo 4, com 17 pontos, os Bleus torcem para que os suíços tropecem. Em caso de vitória da Suíça fora de casa, a França precisará golear os cipriotas para descontar o saldo de gols desfavorável.

Raymond Domenech, muito criticado por usas escolhas na última partida, contra a Suíça, deixará Vikash Dhorasoo no banco. Em seu lugar, começará Djibril Cissé, que formará dupla com Sylvain Wiltord no ataque. O Chipre estará sem Okkas, um de seus principais jogadores.

Como a Irlanda possui chances de se classificar, a partida em Dublin promete ser de alta tensão. Israel (18) não joga e depende de uma improvável combinação de resultados para manter o sonho de alcançar o Mundial.

Já a Espanha pega San Marino dependendo de um tropeço de Sérvia-Montenegro diante da Bósnia. Em segundo no grupo 7, com 17 pontos, a Fúria partirá com tudo para cima de um saco de pancadas. Porém, Luís Aragonés admite estar mais perto da disputa da repescagem. O treinador provavelmente escalará um quarteto ofensivo, formado por Raúl, Fernando Torres, Villa e Reyes.

Para a Sérvia-Montenegro, até mesmo um empate serviria para garantir a vaga, desde que a Espanha não vença por mais de quatro gols de diferença. Para a Bósnia, o triunfo significaria pelo menos um lugar na repescagem. Um empate por 2 a 2 entre as duas seleções, combinado com um triunfo por 4 a 0 dos espanhóis forçaria a disputa de uma partida-desempate.

A Suécia está praticamente classificada para a Alemanha. Mesmo que perca seu compromisso contra a Islândia, pelo grupo 8, os suecos possuem uma grande vantagem no saldo de gols, o que seria suficiente para lhe garantir um lugar como um dos melhores segundos colocados.

A remota “ameaça” vem do grupo 1. A República Tcheca (24 pontos) está forçada a vencer a Finlândia fora de casa para terminar em segundo. Por incrível que possa parecer, a sorte dos tchecos dependeria então do resultado da partida entre Andorra e Armênia, por conta dos descontos necessários para igualar as campanhas (os tchecos estão em uma chave com sete países, enquanto no da Suécia há seis). A Romênia (23 pontos) não entra em campo e espera que a República Tcheca não triunfe, mas fatalmente teria a repescagem como destino certo.

No grupo 2, a Turquia (20 pontos) vai para a repescagem se vencer a Albânia. A Dinamarca (19) aguarda um tropeço turco e deve cumprir sua parte contra o Cazaquistão. Já a Grécia (18) possui a situação mais complicada: precisam ganhar da Geórgia e por derrapadas dos rivais.

Eslováquia e Rússia decidem diretamente qual delas terminará em segundo no grupo 3. a vantagem cabe aos eslovacos, que recebem o rival e estão na frente nos critérios de desempate. A situação do grupo 5 está definida, com a Noruega já classificada para a repescagem.