Mats Hummels participou dos dois últimos períodos de hegemonia na Bundesliga. Era um dos pilares do Borussia Dortmund que conseguiu o bicampeonato sob as ordens de Jürgen Klopp. Depois, causou controvérsia ao optar por retornar ao Bayern de Munique, permanecendo na condição de protagonista da liga, campeão com os bávaros na última temporada. A transferência do zagueiro, para muitos, reforçou apenas a velha política dos vermelhos no mercado, reforçando-se ao mesmo tempo em que enfraquece os concorrentes. Por isso mesmo, soa um pouco surpreendente o posicionamento do jogador, em declarações ao 100% Bundesliga.

Hummels criticou a falta de competitividade da Bundesliga. Assim como fez Jupp Heynckes nesta semana, o defensor questionou quão prejudicado vem sendo o campeonato por concentrar seus títulos apenas no Bayern. Obviamente, o atleta da seleção alemã tratou de exaltar a excelência demonstrada pelos bávaros. No entanto, não nega que há um claro prejuízo pela falta de um competidor que ponha em risco a sequência de conquistas dos atuais pentacampeões.

“Definitivamente falta na liga um segundo ou um terceiro time que possa consistentemente marcar muitos pontos. A grande vantagem do Bayern na liderança pode ser vista, do pressuposto da competição, também como o ápice da eficiência. Mas tenho a sensação de que a concorrência melhorará com um tempo. Temos muitos bons treinadores na liga, também praticamos um futebol de bom nível técnico. É preciso ter mais ação com a bola, algumas retrancas maiores acabam estragando o jogo”, apontou Hummels.

O Bayern de Munique chegou a estar ameaçado no início da temporada, mas o retorno de Jupp Heynckes foi amplamente benéfico à equipe. Os bávaros dispararam na liderança e acumula 16 pontos de vantagem no topo da tabela. E a supremacia acaba ocultando o equilíbrio que acontece abaixo, assim como a qualidade apresentada nos jogos e a satisfatória média de gols. Atualmente, apenas quatro pontos separam o segundo do décimo colocado.

Em outros assuntos, Hummels também falou sobre a campanha do Bayern na Liga dos Campeões. E a frente continental se torna a prioridade no clube, embora o zagueiro enfatize que o trabalho precisa se aprimorar: “Nós precisamos ter certeza que podemos melhorar, em busca de algo além no cenário continental, porque estamos distantes daquilo que queremos para nós. Temos capacidade para atingir este nível, mas precisamos nos empenhar. É possível vencer a Champions, claro, mas você precisa ter um pouco de sorte e melhorar alguns setores da equipe”.

Segundo colocado em seu grupo, abaixo do Paris Saint-Germain, o Bayern foi mais feliz no sorteio que os franceses. Enfrentará o Besiktas, escapando dos duelos mais espinhosos. O primeiro jogo contra os turcos, na Allianz Arena, acontece em 20 de fevereiro. Até lá, as chances de se distanciar ainda mais na Bundesliga e encaminhar o hexa são enormes. Uma zona de conforto que, em outros momentos, atrapalhou o desempenho dos bávaros nas últimas fases da Champions.