A Alemanha sustenta um cartel invejável nas Eliminatórias da Copa. A última derrota do Nationalelf na competição aconteceu há exatos 16 anos – e em um vexame que os germânicos não gostam muito de lembrar, com a goleada da Inglaterra por 5 a 1 no Estádio Olímpico de Munique. Além disso, são 13 vitórias consecutivas, desde o insano empate por 4 a 4 com a Suécia em outubro de 2012. Nesta sexta, a República Tcheca era uma ameaça à sequência. Por muito pouco os tchecos não interromperam a série alemã em Praga. Contudo, Mats Hummels apareceu como salvador para determinar o triunfo por 2 a 1, que deixa o time de Joachim Löw ainda mais perto do Mundial de 2018.

Com a maioria dos protagonistas de volta após a Copa das Confederações, a Alemanha entrou em campo com força máxima entre os jogadores à disposição. E não demorou a abrir seu caminho. Aos quatro minutos, Mesut Özil deu um belo passe em profundidade e encontrou Timo Werner. O novo dono do ataque dominou e bateu na saída do goleiro Tomás Vaclik. A vantagem precoce, porém, não deu total tranquilidade aos alemães. A República Tcheca saiu ao ataque e incomodou bastante, fazendo Marc-André ter Stegen trabalhar. Foram ao menos duas defesas decisivas. Do outro lado, o time de Joachim Löw pouco criava, com Lars Stindl parando em Vaclik na melhor chance.

De tanto insistir, a República Tcheca arrancou o empate aos 33 do segundo tempo. E graças a um golaço de Vladimir Darida, destaque do Hertha Berlim e principal fonte de inspiração de sua seleção. O camisa 8 recebeu na intermediária e mandou um balaço, pegando na veia. A bola ainda tocou no travessão antes de entrar, sem qualquer chance de defesa. Porém, a Alemanha ainda reagiria. Toni Kroos cobrou falta em direção à área e encontrou Hummels livre de marcação, cabeceando para as redes. Garantiu a sétima vitória do Nationalelf em sete rodadas.

Com 21 pontos, a Alemanha domina o Grupo C das Eliminatórias. A Irlanda do Norte é a perseguidora mais próxima, e ainda assim cinco pontos atrás, com 16. Os norte-irlandeses penaram um bocado, mas, com gols anotados depois dos 26 do segundo tempo, superaram San Marino por 3 a 0. Caso os alemães vençam a Noruega na próxima rodada, em Stuttgart, e os britânicos tropecem contra a República Tcheca em Belfast, os tetracampeões do mundo assegurarão sua vaga na Rússia. Os tchecos, aliás, jogam a sua vida nesta ocasião. Dependem urgentemente da vitória para tirar a diferença de sete pontos em relação à Irlanda do Norte e, ainda assim, dependerão de um milagre nas duas últimas partidas para ir à repescagem.