Quatro vitórias e um empate. Treze gols marcados e nenhum sofrido. O Borussia Dortmund lidera a Bundesliga não apenas de maneira invicta, mas também com enorme autoridade. E os aurinegros se isolaram na ponta da tabela nesta quarta-feira, graças à imponente vitória sobre o Hamburgo por 3 a 0, dentro do Volksparkstadion, e ao tropeço do Hannover 96 na visita ao Freiburg. Mesmo sem grande vantagem na posse de bola, o time de Peter Bosz controlou o jogo durante a maior parte do tempo e criou muito mais chances. Resultado merecido que ressalta as virtudes do trio formado por Andriy Yarmolenko, Pierre-Emerick Aubameyang e Christian Pulisic. Já entrosados, os atacantes atormentaram os Dinossauros e construíram o amplo resultado.

Criando bem mais no ataque, o Borussia Dortmund demonstrava suas virtudes ao atacar com velocidade e aproveitar o jogo pelas pontas. Desde os primeiros instantes, o gol parecia questão de tempo. Pierre-Emerick Aubameyang chegou a carimbar a trave, até que um lance confuso dentro da área, após cobrança de falta na linha de fundo, inaugurasse o marcador a favor dos visitantes aos 24. A bola pipocou dentro da área até que Shinji Kagawa emendasse para as redes e abrisse o caminho para os aurinegros.

O Hamburgo tentou responder, mas parou em uma ótima defesa de Roman Bürki e na atuação segura da defesa, especialmente de Ömer Toprak. De qualquer maneira, o Dortmund ainda era mais ofensivo e exigia de Christian Mathenia do outro lado, com o ex-goleiro do Darmstadt sendo bastante acionado. Yarmolenko, sobretudo, desequilibrava pelo lado direito tanto por sua incisividade quanto pela capacidade de criação. E poderia ter provocado a expulsão do infernizado Gotoku Sakai, que acabou tomando só o amarelo após uma entrada dura.

Já no segundo tempo, o Dortmund não esperou muito para garantir a vitória. O gol saiu aos 18, em nova jogada de Yarmolenko, que partiu para cima da marcação e chutou cruzado. A bola mascada passou por Mathenia e, com a meta aberta, Aubameyang não teve problemas para escorar. A partir de então, Peter Bosz aproveitou para fazer as primeiras alterações e resguardar um pouco mais seu time. Mas contava com a fome de bola de Pulisic, que não desacelerava nem com o passar dos minutos. Invertido para a ponta direita após a substituição de Yarmolenko, o americano aproveitou passe de Mahmoud Dahoud para fechar o placar aos 34.

Se a verticalidade tem sido, ao longo dos últimos anos, uma das principais características do Borussia Dortmund, isso segue ainda mais em voga nesta temporada – tanto pelo estilo proposto por Peter Bosz em seu 4-3-3 quanto pelas peças à disposição. E a maneira como Yarmolenko já se coloca entre os protagonistas do time impressiona, chamando a responsabilidade em diversos momentos. A vida na Liga dos Campeões não começou fácil, especialmente por culpa de erros pontuais que desmoronaram o plano de jogo dos alemães em Wembley. Na Bundesliga, em compensação, não dava para esperar uma arrancada melhor. Com as desconfianças que persistem sobre o Bayern, os aurinegros se recolocam na corrida pela Salva de Prata. Se conseguirem superar os recorrentes problemas com lesão e as oscilações que minaram as últimas campanhas, as possibilidades são reais.