A repetição da final da Major League Soccer não decepcionou os torcedores. Toronto FC e Seattle Sounders voltaram a se encontrar no BMO Field para ver quem levaria a taça do torneio. Apesar do frio na cidade canadense, a partida foi quente, com boas chances de gol no tempo normal, momentos de tensão e um show de Frei sob a meta de Seattle. No fim, porém, a festa foi do Toronto FC que venceu o jogo por 2 a 0, com gols de Jozy Altidore e Victor Vázquez.

Enquanto o Seattle Sounders buscava o segundo título consecutivo, consolidando de vez o domínio da região noroeste da liga, o Toronto FC entrava em campo querendo ser o primeiro canadense a conquistar a MLS e, claro, vingar a dolorosa derrota sofrida na última temporada, nas penalidades, jogando em casa. Para isso, no entanto, foi preciso passar pelo paredão chamado Stefan Frei, goleiro de Seattle que teve uma atuação brilhante.

O ano de 2017, entretanto, era para ser do Toronto FC. A equipe canadense foi a melhor da temporada regular da MLS e conquistou a Supporters’ Shield. Mais do que isso, quebrou o recorde de maior número de pontos na primeira fase do torneio. Como se não bastasse, o Toronto ainda levou a Copa do Canadá. A tríplice coroa se encerrou com o título deste sábado, a MLS Cup.

Equipe favorita desde o início, principalmente pelo ótimo trio de Designated Players (Alditore, Bradley e Giovinco), Toronto não deu espaço para os concorrentes na Conferência Leste. Nos playoffs, porém, as pernas pesaram e o time oscilou. Jogos ruins contra o NY Red Bulls e contra o Columbus Crew fizeram com que a qualidade da equipe fosse colocada em xeque. O emocional do time também foi abalado, com Altidore agredindo adversários na entrada do vestiário e sendo punido, além da suspensão de Giovinco pelo alto número de cartões amarelos.

Apesar dos pontos baixos na reta final, a equipe canadense conseguiu manter um nível suficiente para passar pelos adversários, diferente de temporadas anteriores. A mudança? Além da manutenção do elenco, principalmente de sua base, houve o reforço com atletas que conseguissem ajudar os DP’s. O mais importante foi Victor Vázquez, criado na base do Barcelona e que estava encostado no futebol suíço. Com um talento diferenciado na liga, se tornou o apoio necessário que Giovinco e Altidore necessitavam quando se viam presos em marcações adversários, como um elemento surpresa. O canadense Jonathan Osorio também merece o destaque, inclusive pela boa partida que fez na MLS Cup contra o Seattle Sounders.

A grande questão agora é saber se o Toronto FC criará uma dinastia na Major League Soccer. Desde que passou a investir mais, não ficou de fora dos playoffs, já tem dois títulos na Conferência Leste e um título da MLS Cup. Se continuar se reforçando bem e se adaptar às mudanças que acontecerão na liga tem tudo para ser presença constante nas próximas decisões, talvez até mesmo em fases finais da Concachampions. Agora que Toronto se livrou do peso de ganhar a MLS, ninguém sabe o quão longe essa equipe pode chegar.