- Há duas formas de observar o caso Márcio Chagas. A primeira: estamos em 2014 e ainda existe o racismo no futebol, o que é um completo absurdo e condenável em todos os níveis. A segunda: estamos em 2014 e todos os atos racistas estão sendo publicados, condenados, questionados e levados a todas as consequências possíveis. Um xingamento de macaco como o desferido a Arouca poderia passar em branco há alguns anos, mas virou pauta imediata da repórter que ouviu.

 Continue lendo no Impedimento