Um lance absurdo marcou o jogo entre Nantes e Paris Saint-Germain, neste domingo.  Os parisienses venceram por 1 a 0, com de Ángel Di María, mas o que mais chamou a atenção foi a atitude de Tony Chapron, árbitro da partida. Já nos acréscimos da partida, o juiz trombou com o brasileiro Diego Carlos, tentou revidar chutando o brasileiro e ainda deu o segundo cartão amarelo ao jogador, expulsando-o. Sim, isso mesmo: o árbitro expulsou o brasileiro por derrubá-lo, ainda que sem querer (o que, talvez, ele discorde).

LEIA TAMBÉM: Especulado no Arsenal, Malcom decide para o Bordeaux com grande jogada e assistência

Não é uma cena comum, sem sombra de dúvidas, mas fica claro assistindo ao vídeo do lance que é o árbitro que entra na rota de corrida de Diego Carlos. O tropeço é um acidente, mas Chapron não parece que entendeu assim. E não por acaso o jogador do Nantes ficou inconformado ao receber o segundo cartão amarelo. Não sabemos que palavras eles trocaram ali, mas parece que o árbitro se enfezou com o fato de ter sido derrubado e expulsou o jogador por isso.

Curiosamente, se o árbitro considerou que foi uma agressão, ele deveria ter dado o cartão vermelho direto. O cartão amarelo só seria justificável se Diego Carlos o xingou ou disse algo absurdo para o árbitro. De qualquer forma, foi uma imensa lambança protagonizada pelo senhor Tony Chapron, que certamente ainda terá repercussão nesta semana. Um papelão do juizão. E nem dá para falar que é algo de várzea, porque na várzea isso certamente não aconteceria.