O Brasiliense venceu o Brasília no primeiro jogo no Mané Garrincha

Atraso nas obras prejudicam as inaugurações nos novos estádios brasileiros

O atraso das obras, datas de entrega completamente voláteis e um pouco de falta de carinho com o que seria deixado para a história proporcionaram algumas aberturas bizarras de estádios da Copa do Mundo. Os clubes perderam a chance de organizar uma grande festa, com atrações que chamassem público e enchessem as arquibancadas. Jogos decisivos, clássicos, a presença da seleção brasileira ou amistosos contra clubes do exterior que não costumam chutar bola pelos gramados daqui.

É uma questão menor se comparada à fiscalização dos gastos nos estádios ou aos riscos de eles não ficarem prontos a tempo para a Copa, mas não é completamente irrelevante. Torcedor de futebol adora cultuar símbolos, cultuar a história continuamente se construindo. E inaugurações gloriosas servem, simbolicamente, para mostrar a grandiosidade daquela arena e de tudo o que virá depois.

Um caso claro de inauguração às pressas é da terceira versão da Arena da Baixada. O estádio correu o risco de ficar fora da Copa, mas foi garantido. No fim de janeiro, o presidente do Atlético Paranaense, Mario Celso Petraglia, chegou a dizer que a Fifa havia vetado partidas no local antes da Copa do Mundo para preservar o gramado. A terceira inauguração do estádio, portanto, seria entre Irã e Nigéria. Isso foi revertido, e a expectativa é que o time sub-23 do clube abra os trabalhos em 23 de março, na semifinal do Campeonato Paranaense contra o Londrina. Com no máximo 10 mil pessoas presentes.

O Castelão não teve esse problema. Foi o primeiro estádio da Copa a ser entregue, em janeiro de 2013. Havia mais do que tempo para planejar uma grande festa. Houve rodada dupla, com jogos do Fortaleza e do Ceará pela Copa do Nordeste e o público decepcionou. Apenas 33 mil torcedores pagaram ingressos. Será que um quadrangular com dois clubes europeus não seria mais atrativo? Ou mesmo um Clássico-Rei, como na primeira inauguração, em 1973 – violência entre torcidas prejudicou essa última hipótese.

Houve, no geral, um cuidado maior de proporcionar bons jogos para o público nas primeiras inaugurações dos estádios que foram reformados para a Copa do Mundo. Comparamos as duas situações e mostramos também como foi a história lá fora.

Maracanã
Fred marcou o primeiro gol do novo Maracanã

Fred marcou o primeiro gol do novo Maracanã

Construído para a primeira Copa do Mundo que o Brasil organizou, o estádio do Maracanã foi aberto ao público em 17 de junho de 1950, com um amistoso entre as seleções de São Paulo e Rio de Janeiro. Naquela época, essas equipes eram valorizadas e os torneios entre elas eram considerados Campeonatos Brasileiros. Em campo, estavam apenas os jogadores mais jovens porque os principais estavam com Flávio Costa na preparação para a Copa do Mundo.

A inauguração aconteceu apenas uma semana antes do primeiro jogo do Mundial. Ainda assim, jogadores importantes como Esquerdinha, Didi e Ponce de León estavam em campo. Os paulistas venceram por 3 a 1. Segundo a imprensa da época, craque em inflar esses números, havia mais de 100 mil pessoas presentes.

O primeiro jogo do novo Maracanã foi um esvaziado amistoso entre Amigos de Bebeto e Amigos de Ronaldo. Mas nem dá para considerar. Foi um jogo com apenas uma parte do estádio aberta, não teve equipes de verdade. A primeira partida real foi bem digna do estádio, uma raridade no cenário da Copa 2014: amistoso entre Brasil e Inglaterra diante de 66 mil pessoas. O primeiro gol do novo Maracanã acabou ficando no nome de Fred, que abriu o placar, aos 11 minutos.

Castelão

Foi no final de 1973. Em 11 de novembro, o estádio Castelão foi inaugurado com um clássico entre Ceará e Fortaleza. Embora ainda não estivesse completo, com arquibancadas apenas nas laterais do campo, 70 mil pessoas assistiram ao empate por 0 a 0.

Quase 40 anos depois, nem metade desse público esteve na rodada dupla do Nordestão, que teve Fortaleza x Sport e Ceará x Bahia. Além de serem jogos de menos apelo, houve temor que houvesse confusão entre as torcidas, se elas dividissem as arquibancadas (como se isso não fosse ocorrer no futuro, em cada clássico pelo Cearense). Muitos torcedores do Fortaleza deixaram o estádio depois da primeira partida, e muitos do Ceará chegaram em cima da hora. Em nenhum momento o Castelão pareceu mais ou menos cheio, mas o primeiro gol foi de um campeão mundial: Kleberson, do Bahia, o único da rodada dupla.

Mineirão

Não dá para dizer que a reabertura do Mineirão foi um sucesso, porque faltou água, os bares estavam fechados e o tropeiro custava R$ 12, mas ao menos houve a preocupação de proporcionar um bom jogo. A terceira rodada do Campeonato Mineiro de 2013 foi antecipada, e Atlético Mineiro e Cruzeiro fizeram o grande clássico local na nova arena. Marcos Rocha, contra, abriu o marcador na vitória celeste por 2 a 1.

Nada a dever em relação à inauguração. Em 1965, a seleção mineira recebeu o River Plate. Os melhores jogadores do estado contra um dos maiores clubes da Argentina. Dois dias depois, em 7 de setembro, a seleção brasileira, representada pelo Palmeiras, venceu o Uruguai por 3 a 0.

Arena das Dunas

O primeiro evento da Arena das Dunas foi um show de forró. Mil convidados viram a apresentação da banda Forró do Lance. No domingo seguinte, em 22 de janeiro de 2014, houve rodada dupla: América-RN x Confiança, pela Copa do Nordeste, e ABC x Alecrim, pelo Campeonato Potiguar. O primeiro gol foi de Adalberto, do América.

O antigo estádio Machadão, inaugurado em 1972, abrigou o seu primeiro grande clássico potiguar logo na estreia. O ABC ganhou do América por 1 a 0. Em seguida, o Vasco, que tem muita torcida do Nordeste, empatou com a seleção brasileira olímpica por 0 a 0.

Mané Garrincha

Atrair público no Mané Garrincha será um desafio perpétuo para o administradores do estádio. Tanto que os principais públicos, sem contar a Copa das Confederações, são de jogos de equipes do sudeste. O primeiro evento-teste, porém, foi a final do Campeonato Candango de 2013, entre Brasiliense e Brasília, com presença de 22 mil pessoas, que receberam, de presente, ingressos da Federação Brasiliense de Futebol. Ao menos foi um jogo importante. O Jacaré venceu por 3 a 0 e levou o troféu. O primeiro gol foi de Bocão.

A primeira inauguração do estádio mais caro da Copa de 2014 foi em 10 de março de 1974 entre o Ceub, primeiro clube de Brasília a disputar a primeira divisão do futebol brasileiro, e o Corinthians. Um amistoso, é verdade, mas com o segundo clube mais popular do País e muito mais potencial de público que a decisão do Candangão.

Fonte Nova
A Fonte Nova inaugurou com shows da Claudia Leitte e da Ivete Sangalo

A Fonte Nova inaugurou com shows da Claudia Leitte e da Ivete Sangalo

Também houve toda a encenação política, a presidenta Dilma Rousseff deu o “pontapé inicial” acompanhada do ministro dos Esportes, Aldo Rebelo, mas foi bonita a festa de reabertura da Arena Fonte Nova, cujas arquibancadas desabaram em 2007, acidente que causou a morte de sete pessoas. Vitória e Bahia fizeram o clássico soteropolitano, que o rubro-negro venceu por 5 a 1, aos olhos de mais de 37 mil pessoas.

Em janeiro de 1951, houve um torneio de futebol com partidas de pouca duração vencido pelo Bahia. Guarany-BA e Botafogo-BA, porém, entraram para a história com os times envolvidos no primeiro jogo do estádio. Tudo bem, nesse caso não há discussão que a reinauguração foi mais pomposa que a inauguração original.

Arena da Amazônia

Com toda a campanha preconceituosa da imprensa estrangeira com Manaus, seria praticamente impossível trazer alguma equipe europeia para a inauguração da Arena da Amazônia, mas dava para arrumar um joguinho melhor que Nacional-AM e Remo, pela Copa Verde.

Os clubes cariocas também têm muita torcida no Amazonas. O terceiro evento-teste do principal candidato a elefante branco da Copa do Mundo será justamente entre Vasco e Resende, pela primeira fase da Copa do Brasil. Em 5 de abril de 1970, o primeiro jogo da história do estádio Vivaldão teve a presença da seleção brasileira, que goleou a seleção amazonense por 4 a 1.

Arena Pernambuco

O primeiro jogo da Arena Pernambuco foi o encontro entre Náutico e Sporting, de Lisboa, a abertura da arena em São Lourenço da Mata. Jogar contra um clube estrangeiro não foi uma má ideia, ainda mais um português (a colônia lusitana em Recife é enorme), mas poderia ter sido algum com mais ligação com o Náutico, que foi o primeiro clube nordestino a excursionar pela Europa.

Seu primeiro jogo no outro lado do oceano, por exemplo, foi contra o Olympique de Marselha, da França. A escolha do Sporting, em fase ruim da sua história – não é campeão português desde 2002 -, pareceu meio aleatória. Em todo caso, poderia ter ocorrido um clássico com o Sport, como em 25 de junho de 1939, quando o Estádio dos Aflitos foi inaugurado.

Arena Corinthians
O Corinthians realizou o primeiro treino da história na sua nova casa

O Corinthians realizou o primeiro treino da história na sua nova casa

O encarregado pelas obras da Arena Corinthians, o ex-presidente Andrés Sánchez, quer que o primeiro jogo do estádio em Itaquera envolva ídolos do passado e do presente. Um Corinthians contra Corinthians. O que é uma pena, pois o Corinthians, campeão mundial de 2012, teria influência suficiente para organizar um amistos contra um gigante de outro país ou até armar um confronto contra a seleção brasileira, embora Andrés não seja exatamente amigo de José Maria Marin. Pelo lado simbólico, poderia enfrentar o inglês Corinthian-Casuals, que deu origem ao nome do clube paulista e se ofereceu para o evento.

A inauguração do Parque São Jorge, em 1928, foi bem mais legal que um amistoso com um monte de aposentados. O Corinthians empatou por 2 a 2 com o América-RJ, um dos times mais fortes do Rio de Janeiro na época (naquele ano, inclusive, conquistou seu quarto título carioca).

Beira-Rio

Não vai dar para o Internacional inaugurar o novo Beira-Rio nas quartas de final do Campeonato Gaúcho contra o Cruzeiro-RS porque isso atrasaria as obras e prejudicaria os dois eventos oficiais de abertura. Em 5 de abril, a festa de inauguração terá o DJ Fatboy Slim. No dia seguinte, os gaúchos enfrentam o Peñarol, do Uruguai, que não anda muito bem das pernas, mas é um clube tradicional da América do Sul.

Não vai ser do mesmo nível que a primeira inauguraçao, em 1969. Em 6 de abril daquele ano, o Internacional jogou contra o Benfica de Eusébio. O Pantera, inclusive, empatou a partida depois que Claudiomiro abriu o placar. O Inter ganhou por 2 a 1.

Arena da Baixada

Naturalmente, a abertura do estádio mais atrasado da Copa do Mundo ainda é uma incógnita. O Atlético Paranaense tem até quinta-feira para conseguir os laudos necessários e marcar a semifinal do Estadual, contra o Londrina, para o Joaquim Américo Guimarães. Se não conseguir, e passar de fase, talvez a final do Paranaense abra os trabalhos. A possibilidade de um amistoso não pode ser descartada.

Em 1914, o Internacional-PR, que se juntaria com o América Foot-Ball Club para formar o Atlético Paranaense, recebeu o Flamengo para inaugurar a Arena da Baixada e talvez tenha se arrependido de ter escolhido um adversário tão forte. Os cariocas enfiaram 7 x 1, sem dó, nem piedade. Na primeira reabertura, em 1999, o Furacão venceu o Cerro Porteño, do Paraguai, por 2 a 1.

Arena Pantanal

Aquele roteiro de sempre. No fim de março, a presidenta Dilma visita a Arena Pantanal. Em 2 de abril, Mixto e Santos jogam pela Copa do Brasil para apenas 20 mil pessoas. No final do mês, Luverdense e Vasco, já pela Série B do Campeonato Brasileiro, chutam bola com capacidade máxima.

Em março de 1975, o Estádio Verdão, o principal de Cuiabá até a construção da Arena Pantanal para a Copa do Mundo, recebeu Fluminense e a seleção da cidade para comemorar a conclusão parcial das obras. Quase um ano depois, em 8 de abril de 1976, Mixto e Dom Bosco deram início a um quadrangular que também contou com Flamengo-RJ e Operário-MT.

Como foi lá fora

Eurocopa 2004

Inaugurações legais

Luz – 25/10/2003 – Benfica 2 x 1 Nacional-URU
José Alvalade – 06/08/2003 – Sporting 3 x 1 Manchester United
Dragão – 16/11/2003 – Porto 2 x 0 Barcelona
Aveiro – 15/11/2003 – Portugal 1 x 1 Grécia
Cidade de Coimbra – 29/10/2003 – Acadêmica de Coimbra 1 x 3 Benfica
Dr. Magalhães Pessoa – 19/11/2003 – Portugal 8 x 0 Kuwait
Algarve – 01/01/2004 – Farense 0 x 1 Louletano (dérbi local)

Inaugurações não tão legais assim

Municipal de Braga – 30/12/2003 – Braga 1 x 0 Celta de Vigo
D. Afonso Henrique – 25/07/2003 – Vitória de Guimarães 4 x 1 Kaiserslautern
Bessa – 30/12/2003 – Boavista 0 x 0 Málaga

Copa do Mundo 2006

Inaugurações legais

Olímpico de Berlim – 01/08/2004 – Hertha Berlim x Union Berlim
Allianz Arena – 30/12/2005 – Bayern de Munique 4 x 2 Seleção alemã

Inaugurações não tão legais assim

Red Bull Arena – 07/03/2004 – Sachsen Leipzig 0 x 1 Borussia Dortmund II

Eurocopa 2008

Inaugurações legais

Hypo Arena – 07/09/2007 – Austria 0 x 0 Japão
Red Bull Arena – 25/07/2007 – Red Bull Salzburg 1 x 0 Arsenal
Letzigrund – 23/09/2007 – Zurique 4 x 0 Grasshopper (dérbi local)

Copa do Mundo 2010

Inaugurações legais

Soccer City – 2009 – Bidvest Wits 3 x 0 Amazulu (final da Copa da África do Sul)
Cape Town – 23/01/2010 – Ajax Cape Town 0 x 0 Santos-AFS (dérbi local)
Peter Mokaba – 23/01/2010 – Supersport United 2 x 1 Brondby (DIN)
Mbombela – 16/05/2010 – África do Sul 4 x 0 Tailândia

Inaugurações não tão legais

Durban – 20/11/2009 – Amazulu 0 x 1 Maritzburg United
Nelson Mandela Bay* – 04/07/2009 – Supersport United x Kaizer Chiefs

* A inauguração oficial foi com partida de rúgbi. Acima está indicada a primeira partida de futebol

Eurocopa 2012

Inaugurações legais

Nacional de Varsóvia – 29/02/2012 – Polônia 0 x 0 Portugal
Arena Gdansk – 14/08/2011 – Lechia Gdansk 1 x 1 Cracóvia
Miejski – 10/09/2011 – Slask Wroclaw 1 x 0 Lechia Gdansk
Arena Lviv – 29/10/2011 – Ucrânia 2 x 1 Áustria

Inaugurações não tão legais assim

Poznan – 23/08/1980 – Lech Poznan 1 x 1 Motor Lublin
Dombass Arena – 29/08/2009 – Shakhtar Donetsk 4 x 0 Obolon Kiev

VEJA AS OUTRAS MATÉRIAS DO ESPECIAL SOBRE OS NOVOS ESTÁDIOS BRASILEIROS