Visitar Balaídos costuma ser uma das missões mais difíceis em La Liga. E o Real Madrid, que já tinha sofrido contra o Celta em outros momentos nos últimos anos, pode se sentir contente em voltar para casa com o empate por 2 a 2. Foi mais um jogo abaixo da crítica feito pelos merengues, que chegaram a buscar a virada no primeiro tempo, mas nunca convenceram de verdade. Já na etapa complementar, os galegos jogaram como quem manda na partida, pressionando, buscando o resultado. Saíram com o empate, embora também tenham desperdiçado um pênalti, em grande atuação de Iago Aspas e Daniel Wass.

Apesar das indicações de que poderia entrar com um time misto, visando o duelo com o Barcelona na Copa do Rei, o Celta optou por escalar os seus principais jogadores em Balaídos. Encontrou um Real Madrid também com força máxima, depois de poupar suas estrelas no meio de semana, contra o Numancia. Os únicos desfalques eram por lesão ou suspensão. Enquanto isso, a novidade ficava por conta da dupla formada por Cristiano Ronaldo e Gareth Bale no comando de ataque.

Embora o Real Madrid tivesse a posse de bola nos primeiros minutos, o Celta logo deu seu cartão de visitas, explorando o jogo pelos lados. Aos 12 minutos, a partir de um cruzamento da direita, Aspas acertou a trave de Keylor Navas. E os merengues tinham dificuldades para criar chances reais, sem conseguir abrir a defesa galega. A primeira vez que os visitantes colocaram o goleiro Rubén Blanco para trabalhar foi aos 26 minutos, em bomba de fora da área de Casemiro, que o camisa 13 voou para espalmar.

Se o Real Madrid partia para cima, também deixava as costas expostas aos contra-ataques. E assim o Celta abriu o placar, aos 33. A partir de uma bola perdida por Cristiano Ronaldo, Aspas lançou em profundidade e encontrou Wass livre. O ponta avançou até a entrada da área e, percebendo Navas adiantado, finalizou com categoria para encobrir o goleiro. Só então os merengues acordaram e logo buscaram a reação. O empate saiu aos 35, com Toni Kroos explorando a velocidade de Bale, que chutou na saída de Blanco. Dois minutos depois, o galês reapareceria. Isco enfiou e, dentro da área, ele não perdoou para determinar a virada.

A desvantagem cobrava uma postura mais incisiva do Celta. E, aos poucos, o time da casa passou a se impor no segundo tempo. Dominava a posse de bola e passou a rondar o gol do Real Madrid. Navas salvou aos 24, quando Maxi Gómez tentou marcar de letra. Já aos 26, em contra-ataque gerado por outra bola perdida por Cristiano Ronaldo, Aspas saiu de frente para o crime, mas foi derrubado por Navas quando tentou driblar o goleiro. Pênalti que serviu para o costarriquenho se redimir, espalmando o chute rente ao gramado.

Naquele momento, porém, o Real Madrid estava distante de aludir ao time bicampeão europeu. Contentava-se em permanecer na defesa, segurando o resultado. As entradas de Lucas Vázquez e Mateo Kovacic não trouxeram grandes perspectivas aos merengues, até porque o Celta se mandou ao ataque com Emre Mor e Stanislav Lobotka. Já aos 37, o merecido empate aconteceu. Desta vez quem perdeu a bola no meio foi Marcelo. Na sequência da jogada, Aspas abriu com Wass e este cruzou na medida para Maxi Gómez escorar de cabeça. O jovem atacante, que recusou uma proposta milionária da China para seguir se desenvolvendo na Espanha, teve uma recompensa por sua escolha. Já nos minutos finais, o Real até esboçou uma pressão, mas Blanco negou a melhor chance, em bomba de Vázquez.

Desencontrado, o Real Madrid não impressiona coletivamente, mas também vê vários de seus destaques individuais em um momento ruim. Desta vez, quem destoou negativamente foi Cristiano Ronaldo. O melhor do mundo até tentou vez por outra, seguindo como a principal válvula de escape do ataque. Falhou demais nas conclusões e ainda perdeu mais a bola do que deveria. Por outro lado, a postura aguerrida do Celta teve sua valia. O ímpeto de Aspas, sobretudo, determinou a reação dos galegos.

O Real Madrid começa o ano vendo o Barcelona se distanciar um pouco mais na liderança do Espanhol. Os merengues permanecem na quarta posição, com 32 pontos, a 16 dos maiores rivais – com um jogo a menos. A sorte é que o Sevilla perdeu na rodada, evitando um incômodo maior de quem vem atrás. Já o Celta faz uma campanha modesta. É o 14° colocado, com 22 pontos, mas podendo ascender na tabela em meio ao pelotão intermediário. E capacidade demonstrada neste domingo será importante também no meio de semana, quando os celestes se reencontram com o Barcelona no Camp Nou, pela Copa do Rei, após o empate por 1 a 1 no jogo de ida.