O que um clube como o PEC Zwolle pode esperar da temporada? Não mais do que escapar do rebaixamento, a história mostra. O time não só conseguiu isso, como vivia um conto de fadas, algo que nosso colunista Felipe dos Santos Souza já tinha escrito na sexta. Mas 2013/2014 será para sempre um conto de fadas na cidade Zwolle para sempre. Conquistar um título era impensável, mas o time conseguiu. Na final da Copa da Holanda, neste domingo, o time teve pela frente o grande time da Holanda no momento, Ajax, prestes a se tornar tetracampeão nacional. E não foi qualquer vitória. O placar de 5 a 1 é mais do que uma goleada, é um capítulo de glória para a história do clube. O jogo teve inspiração em um famoso personagem de videogame, tensão, paralisação por uso de sinalizadores e goleada.

>>>> Zwolle vive o seu conto de fadas, que pode ficar ainda melhor

O jogo teve que ser interrompido no seu início. Por duas vezes a torcida do Ajax atirou fogos de artifício dentro de campo, os famosos sinalizadores. A área que o Ajax defendia ficou quase literalmente pegando fogo, colocando em risco o goleiro Kenneth Vermeer. Primeiro, os sinalizadores foram retirados e o jogo continuou. Mas não duraria muito tempo.

A torcida do Ajax não sossegou e atirou mais sinalizadores em campo. O árbitro Bas Nijhuis resolveu interromper o jogo e os times voltaram ao vestiário. O diretor do clube, o ex-goleiro Edwin van der Sar, entrou em campo com o microfone e fez um discurso forte pedindo que a torcida parasse com essas atitudes. O ex-goleiro, atual dirigente, alertou que se o jogo fosse paralisado novamente por causa dos fogos de artifício, o jogo seria encerrado e o Ajax poderia ser declarado derrotado. Meia hora depois, o jogo foi retomado.

Assim ficou a área defendida pelo Ajax: cheia de fumaça

Assim ficou a área defendida pelo Ajax: cheia de fumaça

É difícil entender as razões para a torcida ter esse comportamento, especialmente colocando seu próprio colocando seu próprio goleiro em risco, mas há algo a ser considerado. O jogo foi no estádio do Feyenoord, em Roterdã, o grande rival do Ajax. A ala mais violenta da torcida do Ajax, a F-Side, aproveitaria a oportunidade para “deixar sua marca” no campo do rival.

O incidente parece não ter sido bom para o Ajax. Mesmo abrindo o placar com Ricardo van Rhijn, logo a três minutos. Só que um neozelandês acabou tendo uma grande atuação e ajudou a construir a virada ainda no primeiro tempo. O ponta esquerda Ryan Thomas, de 19 anos, foi quem marcou a virada. Ryan Thomas empatou, aos sete minutos. Aos 11, Thomas marcou novamente, virando o jogo.

Foi então que o principal destaque do time, Guyon Fernandez, fez a diferença. O atacante, de 28 anos, tem sido um dos responsáveis pela campanha relativamente tranquila que o time faz na temporada, não correndo risco de rebaixamento. Aos 20, ele marcou o terceiro gol e aos 33 marcou o quarto, aplicando uma impressionante goleada por 4 a 1. Foi o 225º jogo do atacante na temporada e o seu 12º gol.

>>>> Ausência de Strootman obriga Holanda a escolher: volante brucutu ou mais técnico?

Se esperava que o Ajax viesse diferente para o segundo tempo. Não veio. Aos cinco minutos da etapa final, Bram van Polen marcou o quinto gol e fez os torcedores do time sonharem. Se uma música representasse o momento dos torceodres, seria as duas primeiras frase de Bohemian Rhapsody, do Queen. “Is this the real life? Is this Just fantasy?”

Com o 5 a 1 no placar, o Ajax fez duas mudanças. Inúteis. O PEC Zwolle se fechou e usou a vantagem que tinha para ter tranquilidade. Quem não lidou bem com isso foi o Ajax, pilhado, sem conseguir reagir. Desde 1956 o Ajax não sofria cinco gols em um jogo de Copa da Holanda.

>>>> Sneijder “armandinho” e falta de volante: Holanda liga sinal amarelo para a Copa

Não era mais um sonho. O apito final garantiu que aquela era a realidade. Depois de duas finais de Copa da Holanda perdidas, em 1928 e 1977, o PEC Zwolle conquista o seu primeiro título de relevância – antes, conquistou três vezes a segunda divisão, sendo a última em 2012, quando voltou à primeira divisão.

Com a grande campanha do time no torneio, a diretoria teve uma ótima sacada, fazendo um trocadilho com o nome do time. Lançaram uma camiseta com a inscrição “PECman”, com o famoso personagem devorando adversários em direção à taça da Copa da Holanda. Uma brincadeira, que já tinha sido sucesso entre os torcedores mesmo que a derrota viesse – e que certamente fará muito mais sucesso agora.

A camisa comemorativa do PEC Zwolle: sucesso de vendas antes, será mais ainda agora

A camisa comemorativa do PEC Zwolle: sucesso de vendas antes, será mais ainda agora