A Internazionale pediu para a CBF a liberação de Adriano do segundo amistoso da Seleção, no dia 15 de novembro, contra um combinado do Kuwait. Giacinto Facchetti, presidente do clube, afirmou hoje em entrevista coletiva que enviou uma carta para a entidade, com cópia para a Fifa, encaminhando a solicitação.

´´Falei por telefone com Carlos Alberto Parreira. Estamos dispostos a liberar o jogador somente para a primeira partida [contra os Emirados Árabes Unidos, no dia 12 de novembro]. Pedimos para que Adriano possa voltar no domingo para a Itália, para poder treinar com a equipe durante a semana´´, declarou o presidente da Inter.

Facchetti não escondeu que preferiria ver Adriano fora destas duas partidas no Oriente Médio. ´´Claro que seria muito melhor se ele não fosse convocado. Porém, não queremos coloca-lo em dificuldades porque, neste momento, poderia fazer bem para suas condições atuais um amistoso com o Brasil. Mas somente um´´.

O dirigente comentou a respeito da conversa com o treinador da Seleção. ´´Parreira me disse que, com esta escolha [a dispensa de Adriano por um jogo], poderia enfrentar problemas com outros clubes e jogadores. Porém, expliquei a ele que Adriano já deu muito. Com relação aos seus companheiros, ele jogou todo o amistoso contra o Sevilha e não foi dispensado da partida contra a Bolívia, mesmo com a vaga para o Mundial já garantida´´.

Apesar das preocupações com o atacante, o presidente da Inter apoiou a convocação de Júlio César. ´´Não há problema algum na participação de Júlio César nos dois amistosos. Já Adriano, como destacou [Roberto] Mancini, precisa treinar, coisa que não pôde fazer nos últimos meses´´.

* foto: Agência CBF