Mais disputado que uma garrafa de água no calor de São Paulo, o meia Adnan Januzaj rejeitou convocações da Bélgica porque supostamente tem o desejo de defender a ainda não oficial seleção do Kosovo. Às vésperas da primeira partida do país que se separou da Sérvia em 2008 contra um membro da Fifa, o jogador do Manchester United tem a chance de mostrar que essa é a mesma a sua intenção.

Além da Bélgica, Januzaj pode atuar por Albânia, Turquia e a própria Sérvia, além da Inglaterra, que tenta convencê-lo a esperar o tempo necessário para poder jogar pela seleção campeã de 1966 – cinco anos. Januzaj por enquanto não declarou oficialmente qual o seu desejo, mas insinuações do seu pai e o fato de ainda não ter aceitado nenhuma convocação indicam que ele quer ajudar a causa do Kosovo, que ainda tenta ser reconhecido pelas Nações Unidas.

E justamente por isso, e a resistência da Sérvia, o jovem país ainda não é membro da Fifa, mas recebeu uma permissão para jogar amistosos não-oficiais contra as nações que já reconheceram Kosovo. O primeiro será em 5 de março, contra o Haiti, em Mitrovica.

A convocação ainda não foi divulgada, mas a Federação Kosovar de Futebol deseja contar com Januzaj e outros atletas da mesma origem, como Xerdan Shaqiri e Valon Behrami, um ato simbólico nessa ocasião especial.

“Estamos discutindo com a família de Adnan”, disse o secretário-geral da federação, Eroll Salihu, segundo o Daily Star. “Nós sentimos que ele deve ao povo dele jogar essa partida, nem que seja 15 minutos. É um gesto simbólico”.

Salihu disse que não entenderia que Januzaj estaria se comprometendo com a federação dele caso aceitasse a convocação, e pelas regras da Fifa, por não ser um jogo oficial, ele poderia mesmo jogar por outra seleção, mas se o jogador do Manchester United quer mesmo defender Kosovo, tem a primeira chance de mostrar.