O Japão parecia a equipe mais fraca do Grupo H da Copa do Mundo. Mas isso antes de a bola começar a rolar. Na estreia, já havia vencido a Colômbia, com a ajuda da expulsão de Carlos Sánchez, logo aos três minutos, mas também sabendo aproveitar a vantagem numérica para buscar o segundo gol depois do intervalo. Contra Senegal, também não era favorito, mas fez uma belíssima partida. Tocou melhor a bola, chegou diversas vezes com perigo e buscou o empate duas vezes. No fim, o 2 a 2 em Ecaterimburgo deixa o Grupo H bem aberto. Senegaleses e japoneses lideram com quatro pontos. Polônia e Colômbia, com zero, jogam daqui a pouco.

Placar aberto

Senegal fez dois gols com uma boa dose de sorte contra a Polônia – um desvio e uma saída do goleiro até a intermediária, combinada com um chutão para trás de Krychowiak. O terceiro gol marcado na Rússia também contou com uma mãozinha do acaso. Sabaly chutou de dentro da área, mas Kawashima espalmou para frente. Sadio Mané estava bem colocado e apenas deixou que a bola batesse em suas pernas e abrisse o placar. 

Rara falha da defesa

Ponto forte da seleção senegalesa, a defesa falhou no gol de empate do Japão. Nagatomo dominou um longo cruzamento e imediatamente tirou Ismaila Sarr e o lateral Moussa Wagué do lance. Inui recolheu e conseguiu deslocar um belo chute no cantinho de N’Diaye. Senegal havia sido melhor no primeiro tempo, levando bastante perigo com bolas mais longas para os seus atacantes de velocidade. Mas o Japão foi ao intervalo na igualdade.

Senegal chuta mal

Não é coincidência que os primeiros gols de Senegal tenham sido estranhos. A finalização não é o forte da equipe, como ficou claro no começo do segundo tempo. Os africanos criaram chances para voltar à frente do placar. Mas Niang bateu muito mal, por cima do travessão, e, quando tentou de fora da área, não pegou direito na bola e facilitou a defesa de Kawashima. Nadou N’Diaye tentou de fora da área, encontrou a pelota por baixo e isolou. 

Japão assusta

Depois dessa pressão inicial de Senegal, o Japão teve duas excelentes oportunidades para abrir o placar. Shibasaki cruzou rasteiro da direita e encontrou Osako, mas o atacante japonês errou a passada e, na hora de completar com a perna direita, furou. Logo na sequência, Inui acertou o travessão. 

Golaço

Quem toca melhor a bola entre as duas equipes é o Japão que, quando Senegal baixou a intensidade na marcação, conseguiu chegar várias vezes com perigo com passes curtos. No entanto, a jogada do segundo gol africano também foi muito bem trabalhada. Começou com Mané, com um lindo passe para Sabaly, que girou dentro da área e cruzou rasteiro. Niang tentou o calcanhar, mas furou. Na segunda trave, Wagué apareceu para fazer 2 a 1. 

Mas o empate veio rápido

Osako cruzou. N’Diaye saiu mal do gol, e a bola ficou com Inui, pela esquerda. O cruzamento rasteiro passou por todo mundo e encontrou Keisuke Honda. Longe da sua melhor fase, o ex-jogador do Milan teve tranquilidade para completar e empatar o jogo para o Japão. 

Ficha técnica

Japão 2 x 2 Senegal

Local: Estádio Ecaterimburgo, em Ecaterimburgo
Árbitro: Gianluca Rocchi (Itália)
Gols: Sadio Mané e Moussa Wagué (SEN); Takashi Inui e Keisuke Honda (JAP)
Cartões amarelos: Takashi Inui e Makoto Hasebe (JAP); M’Baye Niang, Youssouf Sabaly e Cheikh N’Doye (SEN)

Japão: Eiji Kawashima; Hiroki Sakai, Maya Yoshida, Gen Shoji e Yuto Nagatomo; Gaku Shibasaki, Makoto Hasebe, Genki Haraguchi (Shinji Okazaki), Shinji Kagawa (Keisuke Honda) e Takashi Inui (Takashi Usami); Yuya Osako. Técnico: Akira Nishino

Senegal: Khadim N’Ndiaye; Moussa Wagué, Salif Sané, Kalidou Koulibaly e Youssouf Sabaly; Alfred N’Diaye (Cheikhou Kouyaté), Badou N’Diaye (Cheikh N’Doye) e Idrissa Gueyé; Ismaila Sarr, Sadio Mané e M’Baye Niang (Mame Biram Diouf). Técnico: Aliou Cissé