A seleção de Gana vive um clima bastante complicado na Copa do Mundo. O elenco discutia premiação, algo que já causou problemas em várias seleções durante a história das Copas do Mundo (quem lembra do Brasil de 1990, por exemplo), mas a coisa ficou mais grave do que isso. Dois dos principais jogadores do time foram expulsos da concentração. Não é uma briguinha qualquer, eles tiveram suas credenciais revogadas e serão obrigados a voltar para casa. O clima do time africano é tão ruim que será uma surpresa se o time conseguir ter um bom desempenho em campo contra Portugal.

LEIA TAMBÉM: Gana acabou até com o racionamento de energia para ver a Copa

Kevin-Prince Boateng, meia do Schalke 04 e uma das estrelas do time, xingou o técnico James Appiah, e por isso foi mandado embora do grupo que se concentra para o último jogo da fase de grupos contra Portugal. Já Sulley Muntari, que mostramos aqui outro dia distribuindo dinheiro em uma comunidade carente de Maceió, foi expulso depois de ser acusado de agredir um membro da comissão técnica. É isso mesmo: acusado de agressão física. Dois dos principais jogadores do time, e que certamente farão muita falta tecnicamente, mas pior que isso é o clima que pode ficar. Os dois certamente possuem influência dentro do elenco e isso deixa um abalo grande.

A situação era ruim entre jogadores e dirigentes, então a Federação de Futebol de Gana (GFA) resolveu levar US$ 3 milhões para a concentração e distribuir aos jogadores. O que se viu, então, é uma cena no mínimo pitoresca. John Boye foi visto BEIJANDO sua parte do dinheiro. Em outra foto, um dirigente aparece contando a grana. Lembrando que Gana pode se classificar às oitavas de final, desde que vença Portugal e a Alemanha vença os Estados Unidos, de preferência por mais de um gol de diferença.

Parece difícil que um time que está tão aos pedaços consiga algo.

VEJA TAMBÉM:

Guia da Copa 2014 – Quem é quem: Gana