Um dos grandes lances recentes da Copa do Mundo aconteceu nas quartas de final da edição de 2010, quando Suárez colocou a mão na bola nos minutos finais da prorrogação para evitar um gol certo e foi expulso. Na sequência, Asamoah Gyan desperdiçou a cobrança, e os sul-americanos avançaram às semifinais – também nos pênaltis. Algo parecido, claro que sem a mesma magnitude, aconteceu no Campeonato Argentino.

LEIA MAIS: Lautaro Martínez, o prodígio que atrai as atenções de Sampaoli às vésperas da Copa

O Rosario Central derrotava o Huracán, fora de casa, por 2 a 1. Aos 25 minutos do segundo tempo, Israel Damonte pegou a sobra da entrada da área, com o goleiro bastante adiantado, e mandou um belo chute com direção certa. Mauricio Martínez, em cima da linha, deu um pulo acrobático para socar a bola por cima do travessão. Pênalti claro. Expulsão clara – apesar da mudança recente da regra.

Mas adivinha se Fernando Coniglio não errou o chute? E errou por muito: mandou uma bica por cima do travessão e perdeu a chance de empatar a partida para o Huracán. Na sequência, mesmo com um homem a menos, Joaquín Pereyra ampliou. Damonte ainda descontou para os donos da casa, mas a vitória por 3 a 2 já era do Rosario Central.