A Serie D é o primeiro nível semi-profissional do Campeonato Italiano. A competição, dividida em nove setores regionais, reúne diversas equipes nanicas do Calcio. E, assim, muitas vezes também rende histórias pitorescas. Uma delas aconteceu neste final de semana. Giovanni Liberti, meio-campista da Turris, recebeu um gancho de cinco jogos após o empate por 3 a 3 com a Sarnese. O motivo? O jogador teria urinado em direção ao setor visitante no Estádio Amerigo Liguori.

Segundo o comitê disciplinar a federação italiana, quando estava prestes a entrar em campo, Liberti urinou em direção à torcida adversária. Não contente, teria feito gestos obscenos e exibido seus órgãos genitais. Mas a Turris promete recorrer. O clube da cidade na região de Napoli afirma que tudo não passou de um engano, e que nada disso aconteceu.

“Infelizmente, mais uma vez, nos encontramos diante de uma injustiça. Liberti não fez absolutamente nada do que é alegado. Na área onde os jogadores se aquecem, há uma fonte próxima da parede e o jogador, pronto para entrar em campo, estava ajustando a sua camisa, que segundo o regulamento deve estar dentro do calção. O grave é que a única testemunha foi o assistente posicionado do outro lado do campo. O clube visitante confirmou para nós que nosso jogador não fez nada disso”, declarou Antonio Colantonio, presidente da Turris, em nota oficial.

Obviamente, a Turris irá recorrer da decisão para tentar reverter a suspensão de seu atleta. Não deixa de ser, de qualquer forma, um caso bastante bizarro. Que ao menos a justiça seja feita.