EUA
Tim Howard – 6
Não teve culpa no lance do gol. Fez uma defesa difícil na cabeçada e ainda tentou minimizar o rebote, espalmando em diagonal e quase fora da área. Inspira muita segurança em todas as bolas.
Fabian Johnson – 6
Cumpriu a obrigação de fechar o lado direito da defesa americana sem grandes problemas.
Omar Gonzalez – 6,5
Fez boa partida. Ganhou todas pelo alto e se destacou como o melhor da defesa.
Matt Besler – 6
Um pouco abaixo do companheiro, mas manteve o nível de concentração e obediência tática da linha defensiva.
DaMarcus Beasley – 6
Improvisado na lateral esquerda, deu alguns espaços para as investidas de Özil por esse lado, mas foi um válvula de escape importante para o ataque. Tem habilidade.
Kyle Beckerman – 5
Foi o jogador de meio-campo mais recuado. Sempre responsável pela saída de bola, não fez muito mais do que tocar para o lado.
Jermaine Jones – 5,5
Fez bem a marcação ao meio-campo talentoso da Alemanha, mas poderia ter chegado melhor ao ataque.
Graham Zusi – 5
Habilidoso, começou pela esquerda e, no segundo tempo, mudou de lado. Em nenhum dos dois criou jogadas boas para os Estados Unidos.
(DeAndre Yedlin) – sem nota
Entrou no fim, sem nota.
Brad Davis – 5
Cumpriu bem a função tática de fechar o meio-campo pelos lados e muito mal a de criar jogadas para Dempsey.
(Alejandro Bedoya) – 4,5
Entrou no segundo tempo quando a Alemanha já havia aberto o placar e manteve o nível medíocre do companheiro que substituiu.
Michael Bradley – 4,5
Muito abaixo do que costuma apresentar pela seleção americana. Era o responsável por lançar Dempsey e coordenar o contra-ataque americano e fez tudo isso muito mal.
Clint Dempsey – 4
É verdade que estava isolado no ataque americano, mas é a referência ofensiva dessa equipe. O esquema tático defensivo de Klinsmann só funcionaria se ele levasse conseguisse ameaçar a defesa da Alemanha. Errou todas as jogadas e não passou nem perto disso.
Alemanha
Manuel Neuer – 6
Foi um mero espectador, já que os Estados Unidos não acertaram um único chute a gol. Ainda fez umas graças quando a bola foi recuada.
Jéröme Boateng – 6
Não sobe muito, mas também não deixa espaços na lateral direita da Alemanha. Sólido.
Mats Hümmels – 6,5
Dempsey não deu muito trabalho, mas Hümmels também não deu brecha para o talentoso americano aproveitar.
Per Mertesacker – 6,5
Muito bem pelo alto e por baixo. Manteve o nível de atuação do companheiro de zaga.
Benedkt Höwedes – 6
Um zagueiro na lateral esquerda. Fica recuado, fecha o seu lado e sobe pouco. Quando sobe, faz jogadas básicas. Não comprometeu.
Bastian Schweinsteiger – 5,5
Não esteve em seus melhores dias. Errou alguns passes e lançamentos e ainda parece um pouco preso dentro de campo. Tendência é melhorar com mais ritmo de jogo.
(Mario Götze) – 6
Entrou mais para Schweinsteiger descansar e rodar o elenco da Alemanha. Fez bem o papel de armador e manteve o nível da equipe.
Philipp Lahm – 7,5
Guardadas as devidas proporções, quando a Alemanha começa a tocar a bola incessantemente, Lahm faz o papel de Xavi: percorre o campo e vai coordenando as movimentações, como se fosse um maestro. E também quase não erra passe.
Toni Kroos – 5,5
Jogou pelo meio da linha de armadores. Deveria se aproximar de Müller ou inverter posições com ele e entrar na área. Mas teve atuação apagada e pouco fez.
Mesut Özil – 6
O lado direito da Alemanha levou bastante perigo aos Estados Unidos no primeiro tempo, e foi por lá que ele jogou. Embora tenha criado poucas jogadas, chamou bastante o jogo.
(André Schürrle) – sem nota
Entrou no fim, sem nota.
Lukas Podolski – 5
Exceto por um chute de direito que ele isolou, quase não apareceu no primeiro tempo e não voltou do intervalo.
(Miroslav Klose) – 6
Mudou o jeito da Alemanha jogar, tornou-a mais objetiva, mas teve poucas chances para tentar bater o recorde de Ronaldo e virar o maior artilheiro da história das Copas.
Thomas Müller – 7
Tem a capacidade impressionante de sempre estar no lugar certo. E a técnica assustadora de pegar um rebote daqueles com a chapa do pé e colocar longe das mãos de Howard. Artilheiro nato.
ÁRBITRO
Ravshan Irmatov – 6
Deixou o jogo correr bastante, apesar de muito pegado. No geral, foi bem.