ALEMANHA

Neuer – 6,5

Não foi tão exigido, mas demonstrou segurança sempre que preciso.

Boateng – 6,5

Muito bem pelo lado direito da defesa, ajudou a anular as tentativas de Cristiano Ronaldo por ali. Foi o líder em desarmes da partida.

Mertesacker – 6

Discreto, não precisou aparecer tanto para manter a sua defesa intransponível.

Hummels – 8

O melhor do sistema defensivo. Foi praticamente perfeito no jogo aéreo e começou a saída de bola com qualidade. Como prêmio, anotou um gol.

(Mustafi) – 5,5

Entrou no lugar de Hummels e participou muito pouco do jogo.

Höwedes – 6,5

Bem pelo lado esquerdo, arriscou até mesmo algumas subidas ao ataque, além de ajudar o trabalho dos zagueiros.

Khedira – 6,5

Demonstrou estar em forma, algo importante diante dos problemas físicos recentes. Foi fundamental na proteção da defesa.

Lahm – 7

Ajudou a iniciar a saída de bola e distribuiu bem o jogo pelo meio-campo. Foi o líder que se espera da equipe. Foi dele a jogada que originou o quarto gol.

Özil – 6,5

Não foi tão brilhante quanto se espera, mas jogou muito bem. Apoiou o ataque pelo lado direito e criou boas jogadas.

(Schürrle) – 5,5

Saiu do banco em um momento no qual o time já tinha tirado o pé do acelerador, sem brilhar.

Kroos – 7,5

Muitíssimo bem na distribuição de jogo, também iniciava o combate na saída de bola de Portugal. Muito bem nos passes longos, cruzou a bola para o tento de Hummels.

Götze – 7,5

Justificou a escolha ao invés de Podolski para substituir Reus. Foi muito ativo na ponta esquerda e se esforçou na marcação. Só não deixou seu gol porque foi preciosista.

Thomas Müller – 8,5

Sem precisar ser tão participativo, Müller foi cirúrgico. Marcou gols sempre que teve chance e, tão importante quanto, também criou espaços aos seus companheiros.

(Podolski) – sem nota

Entrou no fim, insuficiente para fazer qualquer coisa.

PORTUGAL

Rui Patrício – 4,5

Falhou no quarto gol, mas pelo não teve culpa dos outros. Não fez grandes defesas e ainda quase permitiu que a Alemanha marcasse mais, como em uma saída de bola desastrada.

João Pereira – 4,5

Pareceu muito pilhado durante a partida, tanto que cometeu o pênalti que abriu o placar. Ainda assim, ajudou na marcação, na medida do possível.

Pepe – 3

A expulsão por puro descontrole derrubou Portugal.

Bruno Alves – 4

Sem o seu parceiro, perdeu a compostura e falhou no terceiro gol.

Coentrão – 5

O único titular da defesa a se salvar, não deixou Özil aparecer tanto por seu lado, mas apoiou menos do que de costume. A lesão na virilha o tirou do jogo.

(André Almeida) – 5

Entrou na fogueira e apareceu muito pouco. Não protegeu seu lado no quarto gol alemão.

Miguel Veloso – 5,5

Garantiu um pouco de proteção à defesa, embora tenha sido discreto. Acabou sacrificado por causa de Pepe.

(Ricardo Costa) – 5,5

Segurou o rojão quando Pepe foi expulso e ajudou à goleada não ser tão elástica, embora a vontade dos alemães também não fosse das maiores.

Raul Meireles – 5

Outro que ficou muito nervoso com as decisões da arbitragem, não desempenhou o seu melhor. Ao menos foi seguro na construção do jogo.

João Moutinho – 5,5

Teve pouco espaço para brilhar e, mesmo assim, foi o mais lúcido no meio-campo da equipe. Foi quem mais criou oportunidades para Cristiano Ronaldo.

Nani – 4,5

Até tentou aparecer, mas foi individualista demais e errou em alguns lances simples.

Hugo Almeida – 4,5

Ficou menos de meia hora em campo, o suficiente para desperdiçar um bom ataque.

(Éder) – 5,5

Foi melhor que Hugo Almeida, ainda que não tanto. Ameaçou uma vez e teve um pênalti reclamado.

Cristiano Ronaldo – 6

Não estava no melhor de sua forma física, mas foi quem mais tentou em Portugal. Dos 13 chutes do time, sete saíram de seus pés. Praticamente sozinho, não pôde fazer muito.

ÁRBITRO

Milorad Mazic – 4

O sérvio não conduziu bem a partida. Foi enérgico demais na expulsão de Pepe, embora tenha sido compreensível, e não marcou um pênalti para Portugal quando o jogo já estava 3 a 0.