ARGÉLIA

M’Bolhi – 6,5

Não teve culpa nos gols, embora o primeiro tenha passado por entre suas pernas. Além disso, fez três defesas importantes na partida.

Mandi – 6,5

Muito bem pelo lado direito da defesa, deu poucos espaços para os sul-coreanos em seu setor e apareceu bem no apoio. Também foi o salvador em uma bola em cima da linha.

Bougherra – 6

O nome mais tarimbado da zaga, trabalhou bem quando exigido, embora tenha sido discreto. Sofreu um pouco mais com a velocidade dos atacantes sul-coreanos.

(Belkalem) – sem nota

Entrou apenas no final, sem tempo para a availiação.

Halliche – 6,5

Autor do segundo gol da Argélia, não se sobressaiu apenas no ataque. Também foi bem na defesa, sobretudo no jogo aéreo. Problema maior apenas nas bolas longas.

Mesbah – 5,5

Atuação discreta do lateral esquerdo, que pelo menos ajudou a manter a solidez defensiva dos argelinos. Apareceu por vezes em jogadas de linha de fundo, mas errou muito.

Bentaleb – 6

Fez o básico na saída de jogo, com passes simples e de qualidade. Também foi bem nos duelos mano a mano, mas por vezes deixou muitos espaços às costas.

Medjani – 6

Não foi tão mais eficiente que seu parceiro na cabeça de área, ajudando até menos na distribuição de jogo. Em compensação, foi o responsável pelo ótimo lançamento no primeiro gol.

Feghouli – 7

Como referência técnica da equipe, fez muito bem o que se esperava dele. Infiltrou-se bem na defesa, soube cadenciar o jogo e teve boa visão para os passes. A tabela que proporcionou no quarto tento foi sensacional.

Brahimi – 7,5

Um leão no meio-campo da Argélia. O meia correu o jogo todo, serviu os seus companheiros e também iniciava o combate aos sul-coreanos. Acabou premiado com o quarto gol.

(Lacen) – 5,5

Serviu mais para dar descanso a Brahimi. Não teve tempo de aparecer muito.

Djabou – 6,5

Foi o nome que menos apareceu do setor ofensivo e nem por isso deixou de ter ido bem. Pelo contrário. Ajudou ao cobrar o escanteio para o segundo gol e ainda marcou o terceiro.

(Ghilas) – 5,5

Entrou apenas para os 20 minutos finais e contribuiu pouco ofensivamente.

Slimani – 8

Foi um monstro na partida, especialmente no primeiro tempo. A intensidade e a força física abriram o caminho para a vitória da Argélia. Sofreu um pênalti não marcado pelo árbitro, marcou o primeiro gol e ainda deu um passe genial para o terceiro.

COREIA DO SUL

Sung-Ryong – 4,5

Teve culpa no segundo gol, quando saiu mal após a cobrança de escanteio. Também ajudou muito pouco. Só uma defesa a partida toda.

Yong – 6

Seu setor da defesa foi o único um pouco mais seguro da equipe e trabalhou bastante, com sete desarmes. Em compensação, não contribuiu em nada no ataque.

Jeong-Ho – 4,5

Pouquíssima confiança no miolo de zaga, muito mal nos duelos com os argelinos e também sem ajudar pelo alto. Sua única virtude foi o posicionamento, que não evitou o vexame.

Young-Gwon – 4

Ainda pior que o seu companheiro na zaga, também foi fraco demais no jogo de corpo com os atacantes argelinos, perdendo muito na potência física.

Suk-Young – 4,5

Teve problemas sérios para tentar parar Feghouli e Mandi por aquele lado da defesa. Por isso mesmo, subiu muito pouco até a linha de fundo.

Kook-Young – 4

Era para ser o cão de guarda do time, mas não garantiu proteção alguma à zaga. As tabelas argelinas pela faixa central saíam com extrema facilidade.

(Dong-Won) – 5,5

Entrou em campo quando o seu time já estava no desespero, no fim da partida, para fortalecer o ataque. Teve pouco tempo para fazer algo de mais útil.

Sung-Yueng – 6

Um dos mais tarimbados do elenco, foi mais eficiente com a bola do que sem ela, contribuindo para o desastre. Redimiu-se ao arranjar o bom passe para Son no primeiro tento, mas foi só. Errou demais nos cruzamentos.

Chung-Yong – 5

Em atuação limitada, serviu mais pelo esforço do que pelo brilhantismo. Foi bastante dedicado, mas nada que fizesse a diferença para o time.

(Keun-Ho) – 5,5

Em pouco mais de meia hora, deu mais poder de decisão ao time, mas nada tão gritante. Ajudou com o passe para o segundo gol.

Ja-Cheol – 6,5

Um dos poucos a se salvar. O capitão foi quem mais se aproximou de Son para tentar decidir a partida, ajudando bastante na distribuição dos passes e chegando para concluir. Anotou o segundo gol.

Heung-Min – 7,5

Assim como no primeiro jogo, foi o melhor de sua equipe de forma bastante evidente. Por vezes parecia jogar sozinho, tentando muitas jogadas individuais – foram nove dribles a partida inteira. Fez o primeiro gol, quando seu time teve esperanças.

Chu-Yong – 4

Para quem é a principal referência ofensiva, decepcionou demais. Sequer chegou a finalizar ou a abrir espaços para os companheiros. O time até melhorou depois que saiu.

(Keun-Ho) – 5,5

Atacante de 1,96 m, entrou no time justamente para dar presença de área e conseguiu, ganhando muitas bolas alçadas na área. Porém, ameaçou pouco nas conclusões.

ÁRBITRO

Wilmar Roldán – 5

Errou ao não dar um pênalti, mas foi bem no restante da partida, ajudando a fazer a bola correr.