Argentina

Romero – 6,5

Fez defesas imprescindíveis quando a Argentina sofria mais pressão. Falhou no gol, é verdade, mas também estava vendido no lance por culpa de seus defensores.

Zabaleta – 5,5

Teve dificuldades no apoio, longe do lateral incisivo que costuma ser. E não conseguiu acompanhar Lulic, ativo pela esquerda.

Campagnaro – 5,5

Apareceu pouco defensivamente, sem ser tão exigido. Acabou sacrificado no segundo tempo para a mudança tática.

(Gago) – 5,5

Ajudou a controlar a bola no meio-campo durante o segundo tempo, mas não foi muito além.

Fernández – 5

Falhou no gol de Ibisevic, embora tenha se mostrado importante para conter a pressão dos bósnios entre o final do primeiro tempo e o início do segundo.

Garay – 6

O melhor da defesa argentina, foi muito bem pelo alto e não deixou Dzeko aparecer. O homem que manteve a segurança do setor.

Rojo – 6

Mesmo tão criticado, Rojo foi bem. Apareceu no apoio e foi importante para anular as subidas da Bósnia pela ponta direita. Às vezes enfeitou muito.

Mascherano – 7,5

Melhor em campo na Albiceleste. Foi excepcional na proteção da defesa, isolando os bósnios da área durante a maior parte do tempo. Também ditou o ritmo da equipe, com mais de 100 passes, e foi muito bem nas bolas longas.

Maxi Rodríguez – 5

Sumiu durante quase todo o primeiro tempo, exceção quando tentava algum lance individual. Acabou substituído no intervalo.

(Higuaín) – 6,5

Sua saída do banco de reservas fez toda a diferença. Deu mais presença ao ataque e trabalhou bem a bola com os companheiros. Foi ele quem tabelou com Messi no segundo gol.

Di María – 6

Esteve muito mal no primeiro tempo, quando teve que dividir espaço na lateral do campo com Rojo. Cresceu no segundo, especialmente pela velocidade e pelos dribles.

Messi – 7

Nulo no primeiro tempo, craque quando quis ser no segundo. O lance do belo gol foi acompanhado por outros lampejos. Pouco do Messi que foi por quatro anos seguidos o melhor do mundo.

Agüero – 5

Muito apagado, errou demais quando teve oportunidade de aparecer. Não acertou nenhum chute no gol e perdeu muitas bolas para a defesa rival.

(Biglia) – sem nota

Entrou em campo para dar mais tranquilidade ao time, mas só nos minutos finais.

Bósnia-Herzegovina

Begovic – 6

Não teve culpa nos gols, mas só fez uma defesa na partida. Demonstrou segurança nas bolas alçadas.

Mujdza – 5

Teve dificuldades para marcar os argentinos na lateral direita, sobretudo no segundo tempo. Foi nulo no apoio.

(Ibisevic) – 6,5

Entrou e mostrou por que foi o artilheiro da Bósnia nas Eliminatórias. Fez o que se esperava de Dzeko, oportunista para marcar o único gol de sua equipe.

Bicakcic – 5

Não demonstrou tanta confiabilidade e esteve lento demais para acompanhar o ataque argentino.

Spahic – 6

O experiente capitão foi quem mais deu combate na defesa bósnia. Por isso mesmo, acumulou roubadas de bola e compensou as fraquezas do setor.

Kolasinac – 6,5

O gol contra foi um pesar para o melhor da defesa da Bósnia. Trancou muitíssimo bem o lado esquerdo da linha de zaga e foi líder em desarmes.

Besic – 5

O volante foi discreto na marcação e não conseguiu acompanhar Messi em seu gol. Já no apoio, deu uma engrossada em alguns lances.

Hajrovic – 5,5

O meio-campista foi individualista demais e, por isso mesmo, foi quem mais ameaçou a meta argentina. O problema é que errou demais na saída de bola.

(Visca) – 5,5

Entrou no segundo tempo, em um momento que já não era tão favorável à Bósnia. Mesmo assim, conseguiu ser participativo.

Pjanic – 6,5

O motor do time na partida, foi quem mais distribuiu o jogo, sempre com precisão. Também apareceu para concluir algumas vezes, mas não teve sucesso.

Misimovic – 5,5

O camisa 10 da Bósnia não foi tão bem no apoio e errou muitos passes, mas ainda assim teve seus lampejos e se dedicou na recuperação da bola. De qualquer forma, não fez muita diferença para os bósnios.

(Medunjanin) – sem nota

Jogou apenas alguns minutos, sem tempo para avaliação

Lulic – 6,5

Se movimentou bem pelo lado esquerdo do ataque, bem no apoio e na criação de oportunidades para os seus companheiros. A assistência para o gol de Ibisevic saiu de seus pés e quase marcou de cabeça, exigindo grande defesa de Romero.

Dzeko – 5

Longe do craque que se espera. O nome mais tarimbado da Bósnia esteve abaixo da crítica, aparecendo um pouco mais só no início do segundo tempo. Chutou apenas uma vez a gol o jogo todo.

Árbitro

Joel Aguilar – 6,5

Em uma partida fácil, não precisou aparecer muito. Foi sempre correto.