Brasil

Júlio César – 5,5

Estava na bola em todos os chutes de fora da área, mas a rebatida para frente no chute de Jiménez, no final do jogo, assustou.

Daniel Alves – 5

Partida fraca do lateral-direito brasileiro. Pouco efetivo no ataque e discreto na defesa.

Thiago Silva – 7

Seguro, bem posicionado, ganhou praticamente todas as bolas por cima e por baixo.

David Luiz – 6,5

Grande partida do camisa 4. Seguro e confiável, ainda se arriscou no ataque quando o Brasil perdia o meio de campo.

Marcelo – 5,5

Buscou o jogo e se apresentou na ponta-esquerda e no meio, mas foi pouco criativo e efetivo no apoio.

Luiz Gustavo – 7

Recuado como quase um terceiro zagueiro, o volante foi bem, ajudou a preencher espaços, desarmou e marcou bem. Praticamente o único homem de meio de campo a fazer uma boa partida.

Paulinho – 3,5

Perdido, lento, mal posicionado. Paulinho não foi nem sombra do jogador que fora na Copa das Confederações: errou passes, não marcou, não criou nada do meio para frente. Parecia com o freio de mão puxado.

Oscar – 5,5

Oscar não conseguiu repetir a boa atuação do jogo contra a Croácia. Sem uma posição definida, pouco produziu, tanto na esquerda, quanto na direita ou no centro. Foi mais efetivo no combate.

(Willian – Sem nota)

Entrou muito tarde e pouco pôde participar.

Ramires – 5

Sumido, apareceu pouco tanto no ataque quanto na defesa. Saiu no intervalo.

(Bernard – 5)

Tirando o primeiro lance ofensivo e alguns passes, Bernard não foi bem e não conseguiu criar praticamente nada.

Neymar – 6

Neymar chamou a responsabilidade mas, sozinho, exagerou no individualismo. Quando acertou, sua cabeçada parou nas mãos de Ochoa.

Fred – 3,5

O camisa 9 se movimentou mais do que no jogo de estreia, mas ainda foi pouco. Os três impedimentos ainda na metade do primeiro tempo também comprometeram. No mais, pouca participação do centroavante.

(Jô – 4,5)

Tentou se movimentar um pouco mais que Fred, mas foi mal tecnicamente, errando passes e chutando uma boa bola para fora.

México

Ochoa – 8,5

O Brasil não jogou bem, mas criou situações de perigo. Quando criou, parou nas mãos do goleiro mexicano, que fez a melhor atuação de um goleiro até agora na Copa.

Aguilar – 5,5

Mais preso para ajudar na marcação a Marcelo e Neymar, o ala direito teve uma atuação discreta.

Rodríguez – 5,5

Mesmo sendo lento, conseguiu ir razoavelmente bem na marcação a Neymar, mas deixou o camisa 10 brasileiro se antecipar e cabecear perigosamente no final do primeiro tempo.

Márquez – 5,5

No centro da zaga mexicana, foi razoável. Bem posicionado, conseguiu anular Fred, mas perdeu alguma bola por cima.

Moreno – 6,5

O melhor zagueiro mexicano na partida, Moreno conseguiu desarmar e começar as jogadas.

Layún – 6

Apoiou bastante e ajudou Guardado pelo lado esquerdo do ataque mexicano. Mas não explorou tanto as costas de Daniel Alves como poderia.

Herrera – 6,5

Com bons chutes de fora da área, o meia mexicano teve boa participação na partida, ajudando a defesa e criando lances de perigo no ataque, ainda que sempre de longe.

(Fabián – sem nota)

Entrou no final e jogou pouco para ser avaliado

Vázquez – 6

Discreto na proteção da zaga mexicana, ainda conseguiu arriscar um chute perigoso de fora da área.

Guardado – 7

Guardado criou, marcou, apoiou e levou perigo em chutes de fora da área e bolas paradas. Depois de Ochoa, o melhor mexicano na partida.

Giovani dos Santos – 5,5

Tentou recuar para armar o jogo mexicano, mas não conseguiu. Quando colava em Peralta, era facilmente anulado  por David Luiz e Thiago Silva.

(Jiménez – sem nota)

Entrou no final e, tirando um chute defendido por Júlio César, jogou pouco para ser avaliado.

Peralta – 5,5

Tirando uma boa jogada no primeiro tempo, o centroavante pouco participou das ações ofensivas do México e foi bem anulado pela dupla de zaga brasileira.

(Chicharito Hernández – 5,5)

Entrou no lugar de Peralta e tentou se movimentar mais. Conseguiu levar vantagem num lance contra Thiago Silva e arrumou uma falta perigosa.