Camarões

Itandje – 4,5

Itandje teve uma saída esquisita no primeiro tempo, não parecia passar muita confiança, errou uma saída de jogo no gol de Perisic e, no quarto gol croata, já com o time entregue, espalmou uma bola fácil nos pés de Mandzukic. Não foi o culpado pelo resultado, mas fez pouco para evitá-lo

Assou-Ekotto – 4

Nulo na marcação de Perisic no primeiro gol, muito pouco efetivo nas subidas ao ataque (com exceção a um cruzamento em que Webo quase marcou) e ainda arrumou briga com Moukandjo. Atuação lamentável do lateral-esquerdo camaronês.

Chedjou – 5

Sem culpa no gol sofrido no primeiro tempo, tinha atuação discreta até ser substituído no intervalo numa tentativa de reorganizar a equipe, após a expulsão de Song

(Nounkeu – 4)

Entrou no intervalo para fazer a lateral-direita e foi muito mal. Perdeu na corrida para Perisic no segundo gol croata, não marcou e não apoiou.

N’Koulou – 4

Um rebote no primeiro gol e uma atuação muito fraca do zagueiro camaronês.

Mbia – 4,5

Improvisado na lateral-direita no primeiro tempo, Mbia apoiava bem, mas deixava muitos espaços na defesa — o gol de Olic foi nas suas costas. No segundo tempo, de volta ao meio-de-campo, teve um bom lance ofensivo mas não teve muito o que fazer.

Song – 2,5

Camarões não fazia má partida no primeiro tempo quando Song foi expulso de maneira infantil, num lance isolado com Mandzukic. Com 10, a equipe se desmontou.

Matip – 5

Partida discreta do Joel Matip, tanto no primeiro tempo, protegendo a zaga, quanto no segundo, recuado na zaga de um time entregue. Individualmente, sem culpa nos gols.

Enoh – 5

Outro que fez partida discreta e, individualmente, sem culpa nos gols sofridos ou na má atuação.

Moukandjo – 5

Aberto pela direita, era o jogador mais criativo e perigoso de Camarões durante o primeiro tempo. No segundo, o time se entregou e ele não teve como repetir a boa atuação. No final, ainda se desentendeu com Assou-Ekotto.

Aboubakar – 4,5

Tentou alguns dribles e se apresentou para o jogo, mas fez pouco.

(Webó – 4,5)

Entrou quando o time já levava um baile da Croácia e ainda conseguiu um cabeceio no travessão.

Choupo-Moting – 3,5

Aberto pela esquerda, foi completamente nulo e sumido do jogo.

(Salli – Sem nota)

Entrou no final e jogou muito pouco, já com o time entregue em campo.

Croácia

Pletikosa – 5,5

Partida discreta e segura do goleiro croata. Não teve trabalho, praticamente.

Srna – 6

Seguro atrás e bom no apoio, o lateral-direito fez uma boa partida.

Corluka – 6

Partida segura do zagueiro croata, sem dar espaços para as tentativas de ataque de Camarões no primeiro tempo.

Lovren – 6,5

Outro que fez boa partida, ainda teve uma interceptação crucial no primeiro tempo, num ataque que poderia ser perigoso para Camarões.

Pranjic – 6,5

No primeiro tempo, teve trabalho para marcar Moukandjo e Mbia, mas ainda conseguiu apoiar o ataque. No segundo, deu a assistência para o gol de Mandzukic. Boa partida.

Modric – 6

Mais preso, não teve muito trabalho na marcação e conseguiu iniciar bem as jogadas ofensivas.

Rakitic – 6,5

Subindo mais que Modric, conseguiu distribuir o jogo e apoiar bem o ataque croata. Poderia ter deixado o seu, mas perdeu um gol cara a cara com o goleiro no final da partida.

Perisic – 8

Com um gol e uma assistência, Perisic teve participação decisiva nos dois gols que decidiram a partida. Foi frio para dar um passe preciso para o gol de Olic e rápido para aproveitar a saída errada de Itandje, arrancar e marcar o seu gol. O melhor em campo.

(Rebic – Sem nota)

Entrou no final, já com a partida decidida, e jogou pouco para ser avaliado.

Sammir – 5,5

Foi melhor que Kovacic na estreia contra o Brasil, mas ainda assim produziu pouco nas jogadas ofensivas da Croácia.

(Kovacic – 6)

Entrou e jogou melhor que em sua estreia contra o Brasil, até por conta das circunstâncias do jogo. Deu mais movimentação e criatividade ao ataque croata.

Olic – 7

Um gol oportunista –o segundo maior intervalo de tempo entre gols de um mesmo jogador em Copas do Mundo!– e uma boa partida do croata. Pelos lados do campo, ajudou a criar e conseguiu ter fôlego para auxiliar a marcação.

(Eduardo – 6)

Entrou com Camarões já entregue e conseguiu participar do último gol da Croácia. Não fez muito, mas o suficiente para se mostrar como opção para o segundo tempo.

Mandzukic – 7,5

Estreante em Copas, Mandzukic mostrou faro de gol e marcou duas vezes, dando números finais ao jogo.

Árbitro

Pedro Proença – 6

O único lance de mais dificuldade para o árbitro foi bastante claro — a cotovelada de Song em Mandzukic foi em frente ao juiz e ridícula de tão evidente. No mais, controlou bem o jogo. Podia até ter expulsado Assou-Ekotto e Moukandjo, mas, com as circunstâncias da partida, preferiu não tomar nenhuma atitude.