Chile

Bravo – 7

Não teve culpa no gol, e mostrou segurança. No final, fez uma grande defesa (uma das melhores da Copa até agora), evitando o que seria o gol de empate da Austrália.

Isla – 5,5

Atuação de altos e baixos. Foi decente no primeiro tempo, mas caiu no segundo, sobretudo ao deixar muitos espaços.

Medel – 4,5

Sofreu com o jogo aéreo da Austrália, sobretudo no combate corpo a corpo com Cahill.

Jara – 5

Situação semelhante à de Medel. Ficar no mano a mano com algum atacante australiano era sempre um sufoco.

Mena – 6

Defensivamente teve problemas, mas até criou algumas boas jogadas pela esquerda no primeiro tempo.

Aránguiz – 6,5

Com um Vidal apagado, foi o principal articulador do meio-campo chileno. Teve participação importante no primeiro gol.

Díaz – 6,5

Também segurou bem a barra com a ausência do melhor de Vidal. Distribuiu bem o jogo e ajudou a dar ritmo ao meio-campo.

Vidal – 5,5

Sentiu a falta de ritmo depois de retornar de contusão. Apresentou-se ao jogo, mas esteve apagado no geral.

(Gutiérrez) – 5

Não teve muito tempo em campo, mas não foi bem quando apareceu. Algumas decisões equivocadas em jogadas que poderiam se tornar mais perigosas.

Valdívia – 6

Um primeiro tempo bom, ajudando a articular jogadas e fazendo um gol. Mas caiu demais no segundo tempo.

(Beausejour) – 6,5

Deu novo vigor ao lado esquerdo do ataque do Chile. Criou perigo por aquele lado, e foi premiado com um gol.

Alexis Sánchez – 7

O melhor em campo. Foi o comandante do Chile no primeiro tempo, encontrando espaços e matando Davidson com sua velocidade. Mas caiu um pouco após o intervalo.

Vargas – 5,5

Pecou demais pelo preciosismo nas jogadas. Houve algumas situações em que a melhor solução era fazer algo simples, e ele acabou tentando algo mais rebuscado.

(Pinilla) – sem nota

Ficou pouco tempo em campo.

Austrália

Ryan – 6

Foi seguro quando precisou, mas também não fez nenhuma defesa espetacular. Fica na média.

Franjic – 6

Sofreu atrás com as descidas de Mena, mas foi bem quando subiu ao ataque, dando o cruzamento para o gol de Cahill.

(McGowan) – 5,5

Fazia uma partida discreta, mas pagou seus pecados depois da entrada de Beasejour, que explorou muito seu setor.

Wilkinson – 6

Sofreu com a velocidade dos chilenos, mas teve presença de espírito para salvar uma bola em cima da linha.

Spiranovic – 5

Bateu muita cabeça e não conseguiu encontrar os atacantes chilenos durante o jogo.

Davidson – 5

Não pode ouvir falar em Alexis Sánchez. Seu lado foi o mais vulnerável da defesa australiana, sobretudo no primeiro tempo.

Jedinak – 5

Não conseguiu acompanhar a velocidade da troca de passes dos chilenos, ainda mais no segundo tempo, quando o jogo ficou mais aberto.

Milligan – 5,5

Um pouco melhor que Jedinak, ao menos apareceu bem no segundo tempo, quando os espaços aumentaram e pôde levar a Austrália mais para frente.

Bresciano – 6

Teve altos e baixos. O primeiro tempo foi ruim, mas cresceu no segundo, sobretudo depois que a compactação chilena perdeu força, abrindo mais espaços.

(Troisi) – sem nota

Ficou pouco tempo em campo.

Leckie – 6,5

Conseguiu encontrar espaço e criar algumas jogadas de perigo. Faltou um pouco mais de capricho na hora H, mas foi um caminho para a Austrália durante o jogo.

Cahill – 6,5

Brigou demais, fez o gol, fez um gol anulado e foi um perigo constante para o gol de Bravo.

Oar – 4,5

Não conseguiu criar problemas para a defesa chilena.

(Halloran) – 5,5

Talvez nem tenha sido tanto mérito dele, mas a defesa chilena afrouxou a marcação no período do jogo em que ele esteve em campo, o que lhe deu mais oportunidades para criar perigo em relação a Oar.

Árbitro

Noumandiez Doue – 6,5

Incrível, uma arbitragem da Copa 2014 sem polêmica! Tudo bem, é verdade que o jogo foi tranquilo, mas o bandeira foi bem no único lance que poderia criar polêmica: o gol anulado de Cahill.