Costa Rica

Keylor Navas – 6,5

Foi pouco cobrado, mas quando a bola foi à meta não passou por ele. Interceptou cruzamento de Lallana que poderia terminar em gol de Sturridge, no começo do segundo tempo.

Cristian Gamboa – 6,5

Fez bem seu trabalho, dando pouco espaço para Lallana jogar. Fez cinco desarmes no jogo, número alto, já que a Inglaterra tentava atacar mais pela esquerda que pelo flanco contrário.

Óscar Duarte – 6

Apesar da Inglaterra ter tido o domínio do jogo e chegar mais ao ataque, Duarte não teve lá tanto trabalho, diante da falta de criatividade inglesa.

Giancarlo González – 6,5

Se destacou na zaga, com três desarmes e muitas interceptações e chutões para afastar os ataques ingleses.

Roy Miller – 6

Não participou de algum lance capital. Não comprometeu, mas também não precisou fazer um grande serviço.

Júnior Díaz – 6

A proposta do time não era de atacar, e portanto o jogador não fez o que mais sabe. Também não foi exigido na defesa. Milner pouco fez no jogo.

Bryan Ruiz – 6

Tocou bastante na bola, mas não fez nenhuma jogada demais para mudar o jogo.

Celso Borges – 6

Fez partida mediana e foi o responsável pela maior chance de gol costarriquenha, cobrando falta no travessão.

(Michael Barrantes) – 6

Entrou e nã0 mudou nem um pouco o jogo, para melhor ou pior.

Yeltsin Tejeda – 6,5

Foi muito bem nos desarmes e ajudou a garantir o empate e a liderança, mesmo com o domínio inglês no meio de campo.

Randall Brenes – 5,5

Fez uma partida fraca, mesmo considerando que o time entrou com uma proposta defensiva.

(Christian Bolaños) – 5,5

Entrou para segurar o empate. E conseguiu, fazendo algumas faltas no meio do caminho.

Joel Campbell – 5,5

Com a Costa Rica se defendendo, foi pouquíssimo útil no ataque. Deu apenas uma finalização no tempo em que esteve em campo.

(Marcos Ureña) -5,5

Teve 25 minutos em campo e mesmo assim deu apenas oito toques na bola, sem finalização, chance criada ou qualquer outra coisa.

Inglaterra

Ben Foster – 6,5

A Costa Rica pouco atacou, mas no lance em que mais foi cobrado, na falta de Borges, fez bela defesa para evitar o gol.

Phil Jones – 6

Não atacou e praticamente não precisou defender. Zagueiro improvisado na lateral em um jogo contra um time que não atacaria não faz muito sentido.

Gary Cahill – 6

Basicamente não precisou trabalhar. Deu apenas um desarme no jogo todo e fez quatro interceptações, ajudando a manter o placar zerado.

Chris Smalling – 6

Assim como Cahill não foi requisitado de forma relevante. Apenas manteve a zaga segura, o que não foi um desafio.

Luke Shaw - 6

Sua especialidade é apoiar o ataque, mas além de não fazer isso bem deu espaços para os costarriquenhos.

Frank Lampard – 6,5

Foi o principal jogador inglês no setor, ajudando o time a controlar o meio do campo. Acertou 88% dos passes e ficou mais recuado, dando liberdade para Wilshere.

Jack Wilshere – 6

Atleta mais móvel do meio de campo inglês, teve liberdade para ir ao ataque e deu passe para Sturridge quase fazer um belo gol no início do jogo. E só.

(Steven Gerrard) – 6

Teve pouco tempo em campo e não fez nada demais.

James Milner – 5

Basicamente não fez nada no ataque, mesmo sendo o ponta direita em um esquema de 4-2-3-1.

(Wayne Rooney) – 6

Quase fez um golaço apenas três minutos depois de entrar, mas, assim como o resto do time, não estava motivado.

Ross Barkley – 6,5

Do tridente de armação, foi o que teve a melhor atuação. Tocou bastante na bola e quase fez um gol no final do primeiro tempo em boa jogada individual.

Adam Lallana – 5,5

Decepcionou. Teve pouca criatividade e ainda levou um cartão amarela por falta forte e desnecessária no meio do campo.

(Raheem Sterling) – 5

Não fez diferença alguma após entrar. Não deixou o time mais ágil nem nada. Teve quase um tempo todo para fazer a diferença, mas manteve o baixo nível de atuação de Lallana, só que aparecendo ainda menos para o jogo

Daniel Sturridge – 6,5

Melhor do time inglês. Finalizou quatro vezes, em duas delas com perigo. Movimentou-se bastante e fez jus à escolha de Hodgson de manter apenas ele do time titular.