BÓSNIA

Begovic – 5,5

Não foi muito exigido e não teve culpa no gol. Só deu um pouco mais de susto quando saiu errado em uma bola cruzada, que segurou em dois tempos.

Vrsajevic – 7

Em um jogo no qual as exigências ofensivas não eram das maiores, se desencanou um pouco de marcar e partiu para o ataque. Fez o gol e criou boas chances para o time.

Spahic – 6

Discreto, esteve bem mais seguro do que no jogo contra a Nigéria. Ajudou a manter o controle de sua equipe diante dos poucos ataques do Irã.

Sunjic – 5,5

Também esteve longe de ser exigido, ajudando Spahic a manter a tranquilidade atrás. Entretanto, foi menos ativo que o companheiro de zaga.

Kolasinac – 6,5

Mostrou que fez mesmo falta na partida contra a Nigéria, ajudando a dar muita estabilidade defensivamente. No apoio, fez o simples.

Hadzic – 5

Mais preso na marcação, foi discretíssimo durante toda a partida, com ou sem a bola. Acabou substituído com uma hora de jogo.

(Vranjes) – 6,5

Deu muito mais consistência ao meio-campo do que Hadzic, fechando mais a cobertura, e ainda apareceu bem no ataque.

Besic – 7,5

O responsável pelo trabalho sujo no meio-campo foi dominante na partida. Foi fundamental para brecar os ataques iranianos e distribuiu o jogo com muita eficiência.

Susic – 7

Um dos que mais lamentou a desclassificação na última partida, Susic entrou como titular desta vez, e muito bem. Deu qualidade no passe e foi decisivo ao criar chances de gol.

(Salihovic) – 6,5

Longe das melhores condições físicas, entrou somente no fim. Mesmo assim, demonstrou sua técnica com a ótima assistência para Vrsajevic.

Pjanic – 7,5

Outra vez, a fonte criativa de sua equipe. As principais jogadas ofensivas vinham de seus pés, tanto nos passes quanto na hora de chamar a responsabilidade. Além do gol, também deu o passe para o tento de Dzeko.

Ibisevic – 5

Deixou muito a desejar na primeira aparição como titular. Movimentou-se muito pouco e sequer ameaçou a meta iraniana.

Dzeko – 7

Finalmente uma boa partida da estrela bósnia. Mostrou firmeza em suas tentativas no ataque, arriscando bastante. Abriu o placar em boa ótima jogada individual.

(Visca) – sem nota

Entrou apenas nos minutos finais, sem tempo para avaliação.

IRÃ

Haghighi – 5,5

Trabalhou um pouco mais que Begovic e não falhou, mas também não foi tão exigido.

Montazeri – 5,5

Não foi dos mais que teve trabalho na defesa iraniana, o que o desafogou para participar do ataque. Apesar dos cruzamentos constantes, não acrescentou muito.

Hosseini – 4,5

Não conseguiu acompanhar os ataques bósnios, com buracos demais no miolo de zaga. Também falhou na saída de bola do segundo gol.

Sadeqi – 5,5

Compensou um pouco as bobeiras do companheiro, mas esteve longe de ser brilhante. Líder da defesa, segurou as pontas até quando deu.

Pooladi – 6

Esforçou-se muito no combate, mas estava difícil brecar a Bósnia por aquele lado. O lateral esquerdo foi um dos que mais trabalharam defensivamente, mas por ali nasceu o gol decisivo.

Teymourian – 7

Excelente na marcação, precisou tomar conta do meio-campo praticamente sozinho. Roubou muitas bolas e ainda de qualidade nos passes.

Nekounam – 5,5

Deu a assistência para o gol de honra, mas não foi mais do que regular. Teymourian teve que se desdobrar ao seu lado, diante dos muitos espaços na marcação.

Shojaei – 4,5

Apareceu pouquíssimo na partida, deixando um vazio para seus companheiros tentarem preencher. Praticamente nulo, foi substituído no intervalo.

(Heydari) – 5

Entrou no segundo tempo e conseguiu ser ainda mais tímido que o seu companheiro de posição. Longe de ser notado.

Hajsafi – 6

Teve alguns bons momentos pelo lado esquerdo do campo, mas nada que levasse tanto perigo aos bósnios. Dos meias, foi quem mais ajudou no ataque.

(Jahanbakhsh) – 6

Pegou poucas vezes na bola, mas conseguiu levar perigo contra a meta de Begovic, algo que seus companheiros não conseguiram.

Dejagah – 5

Parece ter gastado todas as suas forças na partida contra a Argentina. Até ajudou nas bolas paradas. Nada que salvasse a sua atuação.

Ansarifard – 5

Participou muito pouco da partida, mesmo permanecendo por quase 25 minutos em campo.

Reza – 6,5

Outra vez, honrou a incumbência de encabeçar o ataque. A maioria das chances iranianas viam com o camisa 16, que acabou premiado com o gol.

ÁRBITRO

Carlos Velasco Carballo (ESP) – 6

Atuou como um bom árbitro deve atuar: discreto, sem interferir na partida. Também não teve lances muito difíceis para conduzir.