HONDURAS

Valladares – 5,5

Não foi muito exigido e não teve culpa nos gols. Foi importante principalmente na ligação direta, com suas bolas longas.

Beckeles – 6

Fechou muito bem o lado direito da defesa, não deixando o perigoso Jefferson Montero se criar por ali. Apareceu algumas vezes no apoio, embora tenha errado muito.

Bernárdez – 4

Só se sobressaiu em uma potente falta cobrada no ataque. Deixou muitos espaços no setor defensivo e abusou das faltas.

Figueroa – 5

Compensou os problemas de Bernárdez na medida do possível, mas ainda assim esteve longe de salvar o miolo de zaga. No mano a mano, pelo menos, conseguiu levar a melhor.

Izaguirre – 4,5

Errou muitas jogadas pelo esquerdo, especialmente nas suas subidas para o ataque. Também pecou pelo excesso de jogadas ríspidas. Substituído no intervalo.

García – 6

Apareceu bem no apoio, principalmente nos cruzamentos pelo lado direito. A participação constante foi decisiva em sua atuação.

Garrido – 5,5

Nulo no meio-campo, foi mais importante para destruir do que para construir. Mesmo assim, sobraram espaços para os equatorianos.

Claros – 6,5

Foi bem no controle do meio-campo e apareceu algumas vezes bem para servir seus companheiros de ataque, arriscando lançamentos. Teve que se desdobrar na cobertura.

Espinoza – 5,5

Não foi brilhante pela meia, mas soube cumprir o seu papel. Arriscou algumas jogadas individuais, mas nada que criasse muito perigo.

Costly – 7

O autor do gol hondurenho também foi o perigo mais constante do setor ofensivo da equipe. Movimentou-se muito bem e, tanto quanto ameaçar, serviu seus companheiros. Ainda carimbou a trave.

Bengston – 5,5

Poderia ter feito melhor. Até conseguiu encontrar espaços na defesa equatoriana, mas precisava aparecer mais nos momentos de conclusão.

EQUADOR

Dominguez – 6

Bem melhor do que na estreia, não deu tantos sustos nas bolas cruzadas na área. Também fez defesas importantes ao longo da partida.

Paredes – 6,5

Embora tenha deixado muitos espaços às suas costas, foi importante no apoio pelo lado direito, com muitas jogadas até a linha de fundo.

Guagua – 4,5

Foi a principal referência defensiva. Entretanto, seu único erro no jogo custou o gol dos hondurenhos.

Erazo – 5

Sobrecarregou Guagua durante a maior parte da partida, longe de demonstrar segurança no miolo de zaga de La Tri.

Ayoví – 6,5

Defensivamente, não se sobressaiu tanto, mas foi essencial no apoio. A maioria dos cruzamentos do time saiu de seus pés, inclusive o do gol da vitória.

Antonio Valencia – 5

Outra partida muito abaixo do esperado da referência do time. Até deu presença física na meia direita e no jogo aéreo, mas errou muitos passes. Quando acertou, o juiz anulou.

Minda – 5,5

Apareceu pouco em suas funções no meio-campo, sendo substituído no final do segundo tempo. Cumpriu o papel, longe de brilhar.

(Gruezo) – sem nota

Mal tocou na bola no pouco tempo em que esteve em campo.

Noboa – 6,5

Foi quem tomou conta do meio-campo, destruindo e se responsabilizando pela saída de bola. Errou passes demais, mas compensou pelas sete roubadas de bola.

Montero – 5,5

Bem mais apagado do que na estreia, não se movimentou tanto pela ponta esquerda e, por vezes, prendeu a bola demais.

(Achilier) – sem nota

Entrou nos minutos finais, para fechar o time, sem tempo para avaliação.

Caicedo – 5

Outra vez foi pouco ativo nas jogadas ofensivas. Garantiu um pouco de mobilidade, mas não apareceu nas conclusões.

(Édison Méndez) – sem nota

O eterno jogador de La Tri fez tão pouco quanto o titular. Também não teve tempo de mostrar muito.

Enner Valencia – 7,5

Perdeu um gol feito no primeiro tempo, mas apareceu bem para comandar a virada de La Tri. Já é um dos artilheiros do Mundial.

ÁRBITRO

Ben Williams – 4,5

Anulou um gol do Equador erroneamente, embora tenha acertado em outro lance, contestado pelos hondurenhos. Em uma partida pegada, conseguiu controlar os ânimos.